Josep Lago/AFP
Josep Lago/AFP

Follmann e Neto entram em campo com a Chapecoense em homenagem do Barcelona

Outro sobrevivente do acidente, Alan Ruschel atua no amistoso no Camp Nou

Estadão Conteúdo

07 de agosto de 2017 | 15h26

O Barcelona reverenciou a Chapecoense momentos antes do amistoso desta segunda-feira, no Camp Nou. A emoção tomou conta dos presentes no estádio na apresentação das duas equipes, com as homenagens feitas pelo clube catalão ao time brasileiro, pouco mais de oito meses depois do trágico acidente aéreo que vitimou quase toda sua delegação na Colômbia.

Se as atenções estavam todas voltadas para Alan Ruschel e seu retorno ao futebol, Barcelona e Chapecoense surpreenderam com homenagens aos outros dois sobreviventes do elenco catarinense. Follmann, que teve parte da perna direita amputada, e Neto entraram em campo uniformizados, como fizeram tantas vezes antes do acidente.

Follmann foi obrigado a deixar o futebol, enquanto Neto ainda luta para retornar aos gramados. E se não mais atuaram desde aquele trágico fim de novembro, os dois puderam realizar o sonho de serem ovacionados em um dos maiores palcos do futebol mundial, o Camp Nou. A emoção tomou conta de ambos, assim como de Alan Ruschel, e as lágrimas foram inevitáveis.

A reverência catalã à história de superação da Chapecoense seguiu com as palavras do capitão da equipe, Iniesta, e de seu novo técnico, Ernesto Valverde, que reconheceram o heroísmo dos sobreviventes e manifestaram apoio às famílias das vítimas.

"É um dia muito especial, por recebermos a Chapecoense em nossa casa. Esperamos que também seja um momento inesquecível para a Chapecoense", comentou Iniesta. "Estamos felizes por receber a Chapecoense, um time que sofreu muito nos últimos meses e que conta com nossa solidariedade", completou Valverde.

Acostumados a grandes jogos e importantes decisões, os atletas do Barcelona admitiram o sentimento especial para a partida desta segunda-feira. O goleiro Ter Stegen, por exemplo, utilizou as redes sociais momentos antes de ir ao Camp Nou e falou sobre a "honra" de enfrentar a Chapecoense.

"Foi uma tragédia para o mundo do futebol e tocou o coração de milhões, incluindo o do Barcelona e o meu. Desde o acidente, o apoio que a Chapecoense tem recebido de todos os cantos do mundo vem sendo fantástico. E a velocidade com que reconstruíram o novo time é notável. Mas é importante não nos esquecermos do que aconteceu. Nossas histórias do passado identificam quem somos hoje. Será uma honra jogar no Camp Nou nesta noite", escreveu.

O goleiro também fez reverência aos três atletas sobreviventes, em especial a Alan Ruschel. "Ele se recuperou de uma cirurgia na coluna vertebral - o que não é algo que normalmente os jogadores de futebol enfrentam. É uma grande decisão corajosa, que nós devemos respeitar grandiosamente. E esta é outra importante razão que torna o jogo especial para nós, torcedores e mundo do futebol. Não nos esqueceremos de aplaudir sua atuação."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.