Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Hassan Ammar / AP
Hassan Ammar / AP

'Fomos tão bons quanto eles', diz Jorge Jesus após derrota do Fla para Liverpool

Treinador acredita que, com boa organização tática e a qualidade dos jogadores, os times brasileiros podem se igualar aos europeus

Redação', Estadão Conteúdo

21 de dezembro de 2019 | 19h26

O técnico português Jorge Jesus repetiu algumas frases ao longo da entrevista coletiva que concedeu após a derrota do Flamengo para o Liverpool por 1 a 0, na decisão do Mundial de Clubes, em Doha, no Catar, neste sábado. As principais indicavam o equilíbrio do confronto e a boa atuação do time brasileiro diante da melhor equipe da Europa.

"Jogamos olhos nos olhos, como falamos em Portugal. Em alguns momentos, o Liverpool foi para cima e o Flamengo tomou o controle em outros momentos. Tivemos mais arremates e maior posse de bola em uma parte do jogo. Estou orgulhoso da partida que fizemos diante do campeão da Europa e que tem 10 pontos de vantagem para o segundo colocado no Campeonato Inglês", disse o treinador português.

Diante do equilíbrio da partida, decidida apenas na prorrogação, Jorge Jesus afirmou que as melhores equipes brasileiras podem se colocar lado a lado dos principais times europeus. "Esse foi um teste para o futebol brasileiro. Foi um teste para uma equipe que não está na Europa. A boa organização tática, com qualidade dos jogadores, consegue fazer um grande time. As melhores do Brasil podem se igualar às melhores da Europa", comentou.

Jorge Jesus revelou que o time poderia ter feito uma partida ainda melhor. Sem citar nomes, ele avaliou que três referências da equipe não estiveram em nível alto. Na partida disputada no estádio Khalifa International, Gabriel, Arrascaeta e Everton Ribeiro não tiveram jornadas inspiradas - os dois últimos acabaram substituídos ainda no tempo normal.

Em termos pessoais, o treinador afirma que não está frustrado por ter chegado tão perto da conquista do Mundial sem conseguir o título. "Quando você ganha, você festeja. Quando não ganha, tem de saber festejar. Não é frustrante ter perdido um torneio que é reservado apenas para os melhores. Queria me sentir como o primeiro. A vida esportiva é feita por vitórias, não há vitórias morais. Perdemos, mas não perdemos em nada para o Liverpool a não ser no resultado. Fomos tão bons quanto eles", repetiu o português.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.