Fora da Liga dos Campeões, Itália tenta retomar domínio na Liga Europa

País conta com os favoritos Juventus, Fiorentina e Napoli nas oitavas de final da competição

Felippe Scozzafave, O Estado de S. Paulo

13 de março de 2014 | 07h00

SÃO PAULO - O futebol italiano está longe de viver os seus melhores dias. Com a eliminação do Milan da Liga dos Campeões, após a goleada sofrida para o Atlético de Madrid, o país passa a não ter mais representantes entre os oito melhores clubes do continente, algo que acontece apenas pela quarta vez na história. E para recuperar parte do prestígio a Itália aposta em algo desprezado no país até alguns anos atrás: a Liga Europa.

Considerada a liga de futebol mais forte do futebol europeu nos anos 90, época em que quase todos os melhores jogadores do mundo atuavam na Itália, o Campeonato Italiano já não vive os seus melhores dias financeiramente e, já há algumas temporadas, os grandes clubes do país vem ficando de fora do foco tanto nas horas decisivas das competições, quanto nas contratações, consideradas bem mais humildes que as feitas por clubes como os da Inglaterra, Alemanha e principalmente das duas grandes equipes da Espanha, Real Madrid e Barcelona.

Toda essa crise ficou ainda mais evidente na atual temporada. Com apenas três clubes na Liga dos Campeões, já que perdeu a quarta vaga para a Alemanha, cujos clubes acumulam melhores resultados recentes no cenário europeu, a Itália viu apenas o Milan se classificar para as oitavas de final. E, logo na primeira fase de mata-mata, o tradicional clube não foi páreo para o Atlético de Madrid e acabou derrotado por um resultado agregado de 5 a 1.

Porém, se a Liga dos Campeões não tem mais nenhum clube italiano, o mesmo não podemos falar da Liga Europa. A segunda competição em importância no continente ainda conta com três times do país entre os 16 classificados e, dada a importância das equipes, eles podem ser considerados favoritos ao título.

CANDIDATOS

Melhor equipe do futebol italiano nos últimos anos, a Juventus, com uma campanha bastante instável, acabou eliminada da Liga dos Campeões em um grupo em que o Galatasaray se classificou. Apesar da decepção, o time de Turim não se abateu e está muito perto de conquistar o seu terceiro título consecutivo na Itália, já que, no momento, tem 12 pontos de vantagem para a Roma, segunda colocada. Além de contar com craques como Andrea Pirlo, Arturo Vidal e o argentino Carlos Tevez, a Juventus tem mais um trunfo nesta edição da Liga Europa: a final do torneio, marcada para o dia 14 de maio, será disputada no Juventus Stadium, casa do time.

Mas para superar a fase oitavas de final, a Juventus terá como desafio o duelo doméstico contra a Fiorentina. Atualmente na 4.ª colocação do Campeonato Italiano, o time de Florença aposta principalmente na força de seu ataque, que tem, entre outros, o italiano Giuseppe Rossi, constantemente convocado para a seleção, sendo muito bem municiado pela dupla de espanhois Borja Valero e Joaquín.

O terceiro e último representante da Itália na Liga Europa é o Napoli. Com uma campanha de 12 pontos no considerado grupo da morte na Liga dos Campeões, a equipe acabou eliminada nos critérios de desempate para Borussia Dortmund e Arsenal, mas continua apostando no entrosamento de sua equipe. O grande nome do time é o argentino Gonzalo Higuaín, ex-Real Madrid. O adversário do time do sul da Itália nas oitavas de final é o Porto, de Portugal.

SOBERANIA EUROPEIA

Se nas últimas temporadas o único italiano que obteve sucesso na Europa foi a Inter de Milão, campeã da Liga dos Campeões em 2011, o cenário no final do século XX já foi muito diferente. Em 11 temporadas, entre os anos de 1989 e 1999, times italianos chegaram em nada menos do que nove finais da Liga dos Campeões, com quatro títulos. No mesmo período, na Liga Europa, que na época se chamava Copa Uefa, a Itália teve oito títulos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.