Fora do campo, CBF e Pelé comemoram

Depois de oito anos trocando chutes e pontapés pela mídia, Pelé e Ricardo Teixeira inverteram nesta terça-feira suas posições e trocaram ofegantes abraços e apertos de mão, durante a reunião promovido pelo ministro do Esporte e do Turismo, Ricardo Melles, para discutir a reestruturação do futebol brasileiro. Descontraídos e sorridentes, o Atleta do Século e o dirigente da CBF comprometeram-se publicamente em atuarem juntos em favor do futebol."Como sempre fiz, vou continuar trabalhando pelo futebol do meu País", garantiu Pelé, que, na reunião desta terça-feira, ficou sentado ao lado de Ricardo Teixeira. O ex-jogador afirmou, ainda, que sempre defendeu a junção de esforços entre a CBF e do governo nas causas do esporte.Segundo ele, a sua reaproximação com Teixeira já tem um vitorioso: o futebol brasileiro. A exemplo de Pelé, Teixeira afirmou que a união de esforços, após anos de brigas, representa um passo decisivo para garantir a restruturação do futebol do País. "Só o torcedor terá a ganhar com isso", reconheceu o presidente da CBF. Empolgado, Teixeira chegou a classificar de "uma nova era" para o futebol a reunião desta terça-feira que, além de Pelé, contou com o ex-presidente da Fifa, João Havelange, o presidente do Clube dos 13, Fábio Koff, e do ministro da Justiça, José Gregori, e do advogado-geral da União, Gilmar Mendes."Essa vitória fora do campo, vai significar mais vitórias dentro de campo", lembrou Ricardo Teixeira, ao referir-se sobre sua reaproximação com o ex-jogador Pelé. Entre as vitórias, Teixeira destacou a proposta para adpatar a legislação brasileira do passe às leis internacionais, feita por Pelé no documento entregue ao ministro Carlos Melles, principal responsável pelo entendimento entre o dirigente da CBF e o ex-jogador.Teixeira lembrou, ainda, que com o apoio de Pelé e do ex-presidente da Fifa, João Havelenge, o Brasil terá grandes chances de sediar a Copa de 2010. "Esse encontro é o início de um grande projeto", comemorou o dirigente da CBF. O ministro da Justiça, José Gregori, foi outro que aplaudiu a reaproximação de Teixeira e Pelé. Segundo o ministro, o governo vai apoiar todas as medidas que forem adotadas para reestruturar o futebol brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.