Força Sindical terá time de futebol

A Força Sindical - a segunda maior central de trabalhadores do Brasil - vai montar um time de futebol. A nova equipe - cujo lançamento oficial será feito neste sábado - nasce com planos audaciosos. Batizada de ?Força Esporte Clube? a equipe pretende começar ainda este ano a disputar torneios oficiais nas categorias juvenil e juniores. No ano que vem quer estar na Copa São Paulo - a mais importante competição da categoria Júnior do País - e ainda em 2002, disputar a Série B1 - uma espécie de quarta divisão do futebol profissional de São Paulo. ?Nosso objetivo é montar um time profissional forte, dentro de muito pouco tempo?, disse hoje, o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho. Representante de aproximadamente 1.400 sindicatos em todo o país, com mais de 9 milhões de trabalhadores na base, a Força Sindical deverá gastar R$ 20 mil por mês para manter a equipe, nesta fase de implantação. Grande parte deste dinheiro, será desembolsado por sindicatos filiados à Força - como o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, dos Trabalhadores da Construção Civil ou o Sindicato dos Comerciários. Outra fonte de recursos, segundo Paulinho, seriam dois clubes europeus - a Inter de Milão e o Atlético de Madrid. Segundo o sindicalista, a Força está articulando um intercâmbio com os dois clubes, que ajudariam no custeio do time e teriam prioridade na aquisição de jogadores que eventualmente venham a ser revelados. A estréia da equipe está prevista para junho e a filiação na Federação Paulista de Futebol (FPF) já está em andamento.O ?Força Esporte Clube? vai ter como sede a área de 14 alqueires do clube de campo do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, no Km 68 da Rodovia Mogi/Bertioga, no município de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo. Trinta e seis garotos já selecionados serão mantidos no clube num regime de semi-internato. Só deverão voltar para casa nos finais de semana que não tiverem jogo. ?Nos horários que não estiverem treinando, deverão estudar?, garante o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos, Francisco Carlos Tonon - que deverá ser o presidente do time.A Comissão Técnica será comandada pelo ex-zagueiro Luis Pereira e o auxiliar-técnico será o ex-zagueiro Mauro, do Corinthians. Os dois foram os responsáveis pela seleção dos garotos, recrutados, em sua maioria, na periferia das cidades da região metropolitana de São Paulo. Ex-jogador das equipes infantis e juvenis do Londrina (chegou a jogar algumas partidas no time profissional, mas se contundiu e abandonou a carreira), Paulo Pereira da Silva afirma que a criação de uma equipe de futebol não será um desvio da principal atividade da Força Sindical. ?Se cada entidade de classe, e não apenas de trabalhadores, desse sua contribuição, poderíamos tirar um grande número de menores das ruas?, disse. ?O Força Esporte Clube não será apenas um time de futebol. Nossa idéia, é formar cidadãos. Se ele não virar jogador, ao menos terá estudado?, explica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.