Rodrigo Coca / Agência Corinthians
Rodrigo Coca / Agência Corinthians

Fortaleza e Corinthians empatam e perdem chance de ascender na tabela

Empate em 0 a 0 no Castelão teve poucas chances de gol e muitas polêmicas de arbitragem

Almir Leite, O Estado de S. Paulo

03 de dezembro de 2020 | 00h06

Corinthians e Fortaleza foram a campo nesta quarta, na abertura antecipada da 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, com um objetivo em comum: se aproximar dos oito primeiros colocados na classificação. Mas o empate por 0 a 0 não ajudou nenhum dos times, que foram aos 30 pontos e estão a seis do oitavo colocado, o Fluminense. O Corinthians ao menos ganhou uma posição, chegando ao 10.º lugar.

Corinthians, pelo menos, manteve a invencibilidade fora de casa sob o comando de Vagner Mancini - agora são três vitórias e três empates.

A partida teve substituição de árbitro, motivada pela covid-19. Ricardo Marques Ribeiro contraiu o vírus e por isso Bráulio da Silva Machado foi chamado para seu lugar.

Na próxima rodada, o Corinthians faz o clássico com o São Paulo na Neo Química Arena, no dia 13 de dezembro, um domingo, às 18h15. O Fortaleza joga um dia antes, contra o Red Bull Bragantino, em Bragança Paulista.

O jogo começou com os dois times buscando o gol, porém, sem muita inspiração. Em cinco minutos, foram quatro conclusões, nenhuma com perigo.

Aos 2  minutos, por exemplo, Otero cabeceou fraco um levantamento de Cantillo, facilitando as coisas para Felipe Alves. A primeira grande chance foi do Fortaleza, aos 13 minutos. Osvaldo entrou pela esquerda em velocidade, se livrou de Gil e chutou forte, mas Cássio conseguiu espalmar.

Com o time da casa bem montado defensivamente, procurando atrair o Corinthians para, ao tomar a bola, explorar a velocidade de seus atacantes, os paulistas tinham dificuldade para encontrar espaços. A lentidão do time também não ajudava.

Assim, a única alternativa corintiana eram as bolas enfiadas por Cantillo para as subidas de Fagner. Em uma delas, o Corinthians conseguiu um escanteio, aos 22 minutos, e quase marca na cobrança de Lucas Piton. Bergson desviou a bola para trás, mas Felipe Alves conseguiu espalmar.

Como o Corinthians também marcava bem e o Fortaleza não conseguia armar jogadas, a partida ficou morna, chata, com muito jogo no setor de meio-campo. O time paulista estava ligeiramente melhor em campo e teve outra boa chance aos 30 minutos, com uma bomba da entrada da área de Luan, que participava pouco do jogo, que o goleiro voou para espalmar.

Na parte final da primeira etapa, o Fortaleza melhorou, teve algumas jogadas ofensivas em velocidade, mas não conseguiu levar perigo real contra o gol de Cássio.

O Corinthians voltou para o segundo tempo apostando ainda mais no toque de bola, mas, sem rapidez, permitia ao Fortaleza se organizar com facilidade. E cometia o erro de centralizar demais as jogadas. O time cearense manteve a proposta de apostar nos contra-ataques.

Aos 13 minutos, o Corinthians reclamou de um pênalti de Felipe em Gabriel, que o árbitro entendeu não ter existido, apesar de o jogador do Fortaleza ter tocado no volante corintiano na disputa do lance na área.

O jogo estava disputado, mas ainda muito concentrado no meio de campo. Por isso, as chances de gol permaneceram raras. Aos 26 minutos, o Fortaleza quase marca. Yuri César levantou na área, Tinga entrou em diagonal e cabeceou forte, mas Cássio pegou.

O Corinthians não tinha poder ofensivo e a situação ficou ainda pior aos 34 minutos, quando Jô foi expulso por agressão. Em uma cobrança de escanteio para o Corinthians, ele atingiu um adversário. Chamado pelo árbitro de vídeo, Igor Benevenutto, para ver o lance, Bráulio Machado considerou que houve agressão e deu cartão vermelho ao atacante.

A vantagem numérica encorajou o Fortaleza a tentar abafar, enquanto o Corinthians procurava se preservar. Mas os atacantes do time cearense, apesar da vontade, não têm muita intimidade com a bola. Isso deu tranquilidade ao time paulista, que acabou conseguindo o resultado possível diante das circiunstâncias.

FICHA TÉCNICA

FORTALEZA 0 X 0 CORINTHIANS

FORTALEZA -  Felipe Alves; Tinga, Wanderson (Éderson), Jackson e Bruno Melo; Juninho, Felipe e Osvaldo (Yuri César); David (João Paulo),  Bergson e Romarinho (Vázquez). Técnico - Marcelo Chamusca.

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Marllon, Gil e Fábio Santos; Gabriel (Ramiro), Cantillo (Xavier), Otero (Matheus Vital), Lucas Piton (Gabriel Pereira) e Luan (Cazares); Jô. Técnico: Vagner Mancini.

JUIZ - Bráulio da Silva Machado.

AMARELOS -  Cantillo, David, Gabriel Pereira e Derley.

VERMELHOS - Jô e Bruno Melo.

LOCAL - Castelão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.