Fortaleza é excluído e rebaixado no Cearense por ir à Justiça Comum

Sentença do TJD-CE é em primeira estância e cabe recurso

Estadão Conteúdo

26 Março 2015 | 20h08

Um dos mais tradicionais times do Nordeste, o Fortaleza foi rebaixado no Campeonato Cearense. Nesta quinta-feira, o clube tricolor foi julgado no Tribunal de Justiça Desportiva do Ceará (TJD-CE) e punido por ter recorrido à Justiça Comum antes de se esgotarem todas as instâncias desportivas, na sua briga pelo título estadual de 2002. Como a sentença desta quinta-feira foi em primeira instância, cabe recurso.

O Fortaleza alega que, no Campeonato Cearense de 13 anos atrás, o Ceará utilizou o atacante costarriquenho David Madrigal de forma ilegal, uma vez que o atleta não estava com seu visto de trabalho no Brasil regularizado. Por isso, a diretoria tricolor quer herdar o título conquistado pelo rival no campo.

A ida à Justiça Comum antes de esgotadas todas as instâncias desportivas levou a procuradoria a denunciar o Fortaleza ao TJD-CE. No julgamento desta quinta, 1ª Comissão Disciplinar decidiu, por três votos a dois, excluir o Fortaleza da Série A do Cearense deste ano, a necessidade de jogar a Série B do ano que vem e a promoção do Icasa para a final da edição 2015.

Isso porque o Fortaleza foi o melhor do seu grupo na segunda fase do Cearense e faria uma das semifinais contra o Icasa. Sem adversário, o time de Juazeiro do Norte avançou diretamente à final. Na outra chave estão Ceará e Guarani de Juazeiro. A Federação Cearense de Futebol e o próprio Fortaleza ainda não pronunciaram. O clube foi defendido no TJD-CE pelo seu presidente, Jorge Mota.

Mais conteúdo sobre:
futebol Fortaleza EC Campeonato Cearense

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.