Fórum passa a limpo crise do futebol

A crise do futebol brasileiro - apesar dos títulos internacionais e do sucesso dos jogadores no exterior - começa a ser passada a limpo, amanhã e sexta, no Fórum do Futebol, no Hotel Holiday Inn/Jaraguá, em São Paulo. Responsável por um extenso e minucioso relatório sobre o esporte no Brasil, o professor da Fundação Getúlio Vargas, Antônio Carlos Kfouri Aidar, abrirá os trabalhos com uma explanação sobre a saúde financeira dos clubes e a legislação em vigor. A equipe coordenada por Aidar para a elaboração do diagnóstico incluiu especialistas do calibre de José Francisco Manssur (da Pinheiro Neto Advogados), o professor Marcos Vinicius Fittipaldi, Gustavo Cecílio Vieira de Oliveira (vice-presidente do Instituto Brasileiro de Direito Desportivo - IBDD) e Carlos Eduardo Ambiel - Feslberg, Pedretti, Mannrich e Aidar Advogados e Consultores Legais. A realização é da Fundação Getúlio Vargas com apoio do Clube dos 13 e da Federação Paulista de Futebol. Marco Polo del Nero, presidente da FPF, lembra que um dos objetivos do encontro é rediscutir a relação de clubes e atletas, a partir da Lei Pelé. "O clube ficou muito vulnerável e está perdendo o estímulo de investir na formação de talentos. Isso custa tempo e dinheiro. E os jogadores acabam rapidamente nas mãos de empresários", justifica. Fora a questão dos clubes que perderam, praticamente, os direitos sobre os jogadores que revelam, Del Nero lembra ainda que o Estatuto do Torcedor também possui algumas distorções. "Um clube não pode ser punido por um incidente que ocorre a 500 metros do estádio, a questão da responsabilidade solidária. Isso tem que ser rediscutido." O dirigente também coloca em dúvida a aplicação do direito de arena, já que o jogador ganha para representar o clube em campo, com ou sem transmissão por televisão. "Da mesma forma que o direito de imagem é plenamente correto. Ele merece receber quando representa o clube em outras situações." A Lei Pelé, o Estatuto do Torcedor, entre outras questões, serão incluídos no Estatuto do Desporto, cujo relator é o deputado Gilmar Machado (PT-MG). E todas as teses do Fórum serão encaminhadas ao Congresso Nacional para que os parlamentares possam ter mais elementos na discussão da matéria. "Estou certo de que as conclusões ajudarão a criação de um Estatuto do Desporto correto e eficiente", acredita Marco Polo. Do programa de amanhã, a partir das 10h30, constam as palestras "As Fontes de Receita do Futebol: Televisão, Bilheteria e Merchandising/Patrocínio", por Marcelo Campos Pinto, diretor da Globo Esporte; a "Política Salarial dos Clubes", pelo presidente do Palmeiras, Mustafá Contursi; e o "Cenário Atual da Legislação Desportiva", pelo advogado especialista em Justiça Desportiva Heraldo Luís Panhoca. Entre os participantes estão o ex-jogador Sócrates e o ex-goleiro Martorelli, representando os atletas, e José Carlos Brunoro, pelo Ministério dos Esportes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.