Fossati pede 'cabeça fria' para vencer o Deportivo

Prestes a decidir o seu futuro na Copa Libertadores, o Internacional precisará ter "cabeça fria" para superar o Deportivo Quito, na quinta-feira, e garantir a vaga nas oitavas de final, pregou o técnico Jorge Fossati após o treino desta quarta.

AE, Agência Estado

21 de abril de 2010 | 21h21

"A primeira coisa é manter a cabeça fria. Com ansiedade não se consegue nada. A cabeça tem que estar fria e o corpo quente. Temos que jogar com raça, mas de forma inteligente", ensinou o treinador.

O duelo de quinta decidirá a liderança do Grupo 5. Se vencer, o time brasileiro garantirá a primeira colocação e, assim, vai assegurar a classificação sem depender do resultados das outras chaves. Em caso de empate ou derrota, o Inter ficará em situação ameaçada na competição.

"É um jogo muito importante, no qual vamos ter que usar a cabeça. Não adianta ir para o desespero. O empate talvez seja suficiente para confirmar a classificação, não tem mágico nem matemático que diga que não. Entramos na competição com duas possibilidades, empatar e vencer", destacou Alecsandro.

Para tanto, o atacante conta com o apoio da torcida no Beira-Rio. "Quando o torcedor apoia, ele literalmente vira o 12.º jogador. É fundamental para o time. A gente espera que a torcida esteja sempre ao nosso lado durante a partida", convocou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInternacionalJorge Fossati

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.