FPF aposta no sucesso do quinteto de arbitragem

No Campeonato Paulista de 2011, a Federação Paulista de Futebol (FPF) decidiu adotar o quinteto de arbitragem, incluindo mais dois auxiliares (um atrás de cada gol), na expectativa de que os erros diminuam, principalmente na marcação dos pênaltis. Presidente da Comissão de Arbitragem da entidade, o coronel Marcos Marinho acredita que a medida será um sucesso e terá boa aceitação do público.

ANDRÉ RIGUE, Agência Estado

29 de outubro de 2010 | 10h27

A utilização do quinteto de arbitragem não é novidade no mundo do futebol. A Uefa já utiliza um os dois auxiliares atrás dos gols nas partidas da Liga Europa e da Liga dos Campeões da Europa, de acordo com normas da International Board (órgão que determina as regras do futebol). Até o momento, a experiência é bem aceita pelos clubes europeus e já é estudada pela Fifa.

"Vamos ter um ganho, enriquecendo a arbitragem", afirma o coronel Marinho. "Esses dois assistentes poderão ter uma visão melhor dos cruzamentos na área. Num lance polêmico, de penalidade, eles terão uma boa condição para ajudar o árbitro. Com certeza é uma medida que dará certo e ajudará a combater os erros."

Os árbitros que participarão do Paulistão estão em ritmo intensificado de treinamento, como explica o coronel. "Os árbitros e os assistentes estão fazendo trabalho prático, teórico e físico. Eles estarão bem entrosados para o início do Paulistão [em 15 de janeiro de 2011]. A FPF vai oferecer tudo o que for necessário para a preparação", avisa.

O quinteto de arbitragem trabalhará apenas na elite do Campeonato Paulista. As demais divisões do futebol estadual continuarão com o tradicional trio.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPaulistãoarbitragem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.