Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

FPF confirma que vai reduzir capacidade de público dos estádios em SP

Limite será de 70%; entidade vem trabalhando junto com as autoridades para diminuir os impactos da covid-19 no Estado

Redação, Estadão Conteúdo

12 de janeiro de 2022 | 21h59

A Federação Paulista de Futebol (FPF) garantiu que a determinação do Governo do Estado de São Paulo, que estabelece a limitação do público em 70% nos estádios paulistas a partir de 23 de janeiro, será cumprida. A entidade lembra que vem trabalhando junto com as autoridades para diminuir os impactos da covid-19 no Estado.

"Desde o início da pandemia de covid-19, a FPF e os clubes paulistas têm seguido todas as diretrizes técnicas e científicas no combate à doença e, desta maneira, a determinação do Governo de São Paulo será cumprida. O Futebol Paulista segue unido, comprometido no combate à covid-19 e orientado pela ciência", disse a entidade.

O governo paulista fez uma série de recomendações nesta quarta-feira a fim de diminuir a participação em eventos com aglomeração, como shows, festas e competições esportivas. A preocupação ocorre em um momento no qual a variante Ômicron do coronavírus está provocando uma alta no número de casos e na taxa de internações.

A recomendação do Comitê Científico do governo de São Paulo é para manter a obrigatoriedade no uso de máscaras faciais nas próximas semanas em ambientes internos ou externos, e a orientação de que ainda haja exigência de teste negativo de covid-19 e comprovante de vacinação está mantida.

"A FPF e os clubes reforçam a todos torcedores a obrigatoriedade do ciclo de vacinação completo ou de teste negativo de covid-19 para o ingresso aos estádios, além da necessidade do uso de máscaras", completou a federação, ciente de que as medidas passam a valer a partir de 23 de janeiro, data de abertura do Campeonato Paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.