FPF derruba o União Barbarense

O Código Brasileiro de Justiça Desportiva evitou o vexame de a Federação Paulista de Futebol rebaixar o sétimo colocado do Paulistão. Em um julgamento "relâmpago" de 45 minutos, os auditores concluíram por 3 a 2 que o CBJD se impõe ao regulamento do Estadual.Não foram consideradas três partidas das quatro que Pitarelli esteve na reserva do União Barbarense ? principal interessado na perda de pontos em dobro. O América só perdeu seis pontos por ter inscrito o goleiro reserva depois de a imprensa ter avisado o clube. E uma multa de R$ 5 mil. ?Nós iremos recorrer. O América terá de perder 24 pontos como previa o regulamento. É simples. Mas eu vou até as últimas conseqüências para o União Barbarense não cair?, promete o presidente do clube de Santa Bárbara d?Oeste, Francisco Silveira Mello.?Quem vai recorrer sou eu. Não estou satisfeito com o julgamento. Não podemos perder nenhum ponto. Nem pagar multa. Não fizemos nada de errado. Por isso eu quero vitória, mas vitória mesmo. Nem multa quero pagar?, provocava o presidente do América, Joacy Antônio Lopes.Mas Joacy respirava aliviado. O presidente do América acompanhou com apreensão a opinião pública garantindo a perda de 24 pontos, já que o regulamento do Paulista previa a perda dos pontos em dobro em que o clube utilizou um atleta irregular. Pitarelli foi reserva do Barbarense por quatro partidas antes de ir para o América.?As pessoas estavam falando antes do julgamento. Isso é um absurdo. Existem muitas coisas em jogo. O rebaixamento para o América, além de uma injustiça, traria prejuízos de no mínimo R$ 2 milhões. Fora a perda de patrocinador, a desvalorização dos jogadores. Ou seja: tudo de ruim?, desabafou Joacy. ?Esse ônus não ficará para o meu clube que foi sétimo colocado jogando futebol (Sem os seis pontos ficaria em 14.º colocado). Se outros clubes caíram, não é problema meu. O América é que não pagará pelos outros?, dizia o presidente do América.O presidente do Tribunal de Justiça Desportiva, Naief Saad Neto, confirmava que nesta segunda-feira aconteceu apenas o primeiro movimento para o União Barbarense fugir do rebaixamento. ?Eles terão três dias para recorrer da sentença e pedir outro julgamento. Se o TJD confirmar o não rebaixamento do América, o União Barbarense pode ir para a última tentativa no STJD no Rio de Janeiro. Pelo Estatuto do Torcedor, essa questão precisa ser resolvida em até dois meses. Pelo que senti, essa luta só está começando?, disse Naief.Embora seja silencioso, houve um clima de alívio na Federação Paulista de Futebol com o resultado do julgamento desta segunda-feira. O rebaixamento no tribunal do América mancharia o campeonato que o presidente Marco Polo del Nero considerou ?ótimo, sem problemas extracampo?. A queda do América seria um desastre.Confira como fica a classificação final do Campeonato Paulista 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.