FPF diz que apenas cumpre a lei após veto de 9 estádios

Poucas horas depois de o Ministério Público de São Paulo anunciar que nove estádios programados para receber jogos do Paulistão de 2010 foram vetados por não terem laudos que os aprovem, o presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Marco Polo del Nero, afirmou que a sua entidade está apenas cumprindo o que exige a lei ao ratificar a decisão do MP.

AE, Agencia Estado

14 de janeiro de 2010 | 16h14

"Isso para nós (da FPF) é uma rotina. Há alguns anos nós temos vetado estádios que não têm laudo. Não há menor possibilidade de liberar estádios que não têm laudo. A gente mantém o que determina a lei", afirmou Del Nero, em entrevista ao SporTV, nesta quinta-feira à tarde.

"Nós temos que cumprir a lei. Não podemos fugir do que determina a legislação. Se tem laudo, (o clube) joga, se não tem laudo, não joga", reforçou o dirigente.

Ao mesmo tempo, Del Nero explicou como é realizado o processo para que os estádios sejam liberados e, ao comentar a situação dos torcedores em meio ao veto dos locais, ressaltou que solução do problema é responsabilidade dos clubes.

"Os presidentes dos clubes têm um compromisso com a Federação Paulista de Futebol de só vender os ingressos após a apresentação dos laudos. E isso é o que tem acontecido. Se não trouxer (o laudo), da primeira rodada (estádios) já ficam fora. Provavelmente, eles (clubes) estão esperando para trazer o laudo na segunda-feira ou na terça, e tenho certeza de que eles vão conseguir", disse, deixando claro que a liberação dos locais reprovados para as partidas é uma questão de tempo. "Se trouxerem o laudo, eu encaminho para o Ministério Público, como determina a lei, e o estádio será liberado".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPaulistãoFPFestádios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.