FPF e Bandeirante selam a paz

Duas horas e quinze minutos de conversa entre Eduardo José Farah, presidente da Federação Paulista de Futebol, e Ademir Wellington de Oliveira, presidente do Bandeirante Esporte Clube, selaram a paz entre as partes. O clube vai participar da segunda rodada do Campeonato Paulista da Série A-2, teve seu estádio liberado e vai receber o prêmio de R$ 100 mil pelo título da Copa do Interior, conquistado ano passado.Se, aparentemente, o Bandeirante conseguiu tudo que pretendia, por outro lado calou o presidente Ademir de Oliveira, que foi muito reticente nas suas declarações. "Está tudo resolvido. Não quero falar mais nada", resumiu o dirigente, logo após deixar a sala de Farah, por volta das 17h15 desta segunda-feira. A única perda do time de Birigüi foi a não participação na Copa do Brasil, embora a FPF garanta que indicou seu filiado para representar o Estado na condição de convidado. Por critérios políticos, porém, o Bragantino ficou com a vaga.A liberação do estádio Pedro Marin Barbel para as disputas dos jogos da A-2 é em caráter provisório. Mas o clube já acertou com a prefeitura municipal uma maneira de ampliar a capacidade do local para 10.000 torcedores. No momento, segundo levantamento da FPF, faltam 200 lugares para atingir a meta de 10 mil. Farah também esclareceu que a premiação ao campeão da Copa do Interior é de R$ 100 mil, mais R$ 50 mil ao vice-campeão (União Barbarense), além de R$ 25 mil para os outros dois semifinalistas - Juventus e Noroeste. Esses prêmios serão entregues na próxima segunda-feira.Com relação ao jogo cancelado entre Bandeirante e São José, pela primeira rodada da Série A-2, ainda não há uma nova data definida. Em princípio, o confronto pode ser realizado no dia 30 de janeiro, em Birigüi.

Agencia Estado,

21 de janeiro de 2002 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.