Divulgação/Red Bull Bragantino
Divulgação/Red Bull Bragantino

FPF e Red Bull Bragantino lamentam erro em exames de coronavírus

Entidade e clube se pronunciam sobre erro nos testes realizados antes das quartas de final do Paulistão

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2020 | 22h15

A Federação Paulista de Futebol (FPF) e o Red Bull Bragantino se pronunciaram nesta segunda-feira, por meio de nota oficial conjunta, sobre o erro nos exames de coronavírus realizados pela equipe na semana passada, antes do jogo contra o Corinthians, pelas quartas de final do Paulistão. O clube recebeu o resultado positivo de 23 pessoas (sendo nove jogadores e quatro membros da comissão técnica), que foram afastadas. No entanto, na quinta-feira, horas antes da partida decisiva, o Bragantino descobriu que os resultados estavam errados.

Os exames foram realizados pelo Hospital Israelita Albert Einstein, que já havia se pronunciado na semana passada. O hospital disse que os reagentes importados da empresa Thermo Fisher estavam com instabilidade de funcionamento. Nesta segunda, a FPF e o clube lamentaram e afirmaram que aguardam um laudo da empresa.

O erro preocupa também a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que padronizará os testes de coronavírus no Hospital Albert Einstein durante o Campeonato Brasileiro. A competição nacional terá início no dia 8 de agosto.

VEJA A NOTA OFICIAL 

"O Red Bull Bragantino e a Federação Paulista de Futebol informam que:

O Hospital Israelita Albert Einstein coletou e recebeu, no dia 27/07, amostras de atletas e membros da comissão técnica do Red Bull Bragantino para análise da presença do Sars-Cov2. As amostras tiveram resultado liberado no fim da tarde do dia 28/07, sendo que 23 apresentaram resultado positivo (entre eles, nove jogadores e quatro membros de comissão técnica).

Em 30/07, após dois exames realizados em laboratórios distintos com resultados negativos, o Red Bull Bragantino solicitou um novo teste para jogadores e comissão técnica no Hospital Israelita Albert Einstein, e as amostras foram coletadas e processadas no mesmo dia. No novo processamento, as amostras resultaram negativas.

Na análise dos processos internos do Hospital Israelita Albert Einstein, identificaram-se dois lotes específicos de reagentes importados (“primers”), da empresa Thermo Fisher, com instabilidade de funcionamento, que foram, segundo o hospital, provavelmente os responsáveis pelos resultados divergentes.

A fabricante, uma empresa internacional, foi imediatamente notificada sobre a ocorrência e os lotes com desempenho atípico foram retirados da rotina de exames do laboratório do hospital. O Einstein reprocessou mais de 200 exames realizados com estes primers, identificou divergências adicionais e comunicou o resultado aos pacientes.

O Red Bull Bragantino e a Federação Paulista de Futebol lamentam e aguardam um laudo da Thermo Fisher sobre os reagentes que apresentaram instabilidade de funcionamento.

Red Bull Bragantino

Federação Paulista de Futebol"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.