FPF não se pronuncia sobre caso de suborno

O escândalo envolvendo o Oeste, de Itápolis, e o Tribunal de Justiça da Federação Paulista de Futebol (FPF) deixou várias dúvidas no ar. A principal delas: quais seriam os verdadeiros motivos que levaram os dirigentes do Oeste a denunciarem o auditor Washington Rodrigues de Oliveira por suborno e o advogado Hely Bíscaro por extorsão. A entidade máxima do futebol paulista, sob nova direção e presidida por Marco Polo Del Nero, ainda não se pronunciou sobre a questão.A denúncia à FPF foi feita segunda-feira, dia 16, por volta das 19 horas. Pouco menos de 2 horas antes, Washington Rodrigues, relator do processo que culminou na penalização, havia decidido mudar seu parecer contrário ao clube. Nesse intervalo, o dirigente de Itápolis Mauro Guerra teria sido chantageado novamente (pelo advogado Hely Bíscaro) em nome do auditor, e teria de pagar não mais R$ 60 mil, valor acertado na primeira reunião, mas sim R$ 120 mil. Estaria aí o motivo da revolta do Oeste? Talvez, mas as explicações vão além.O Oeste só apresentou a denúncia após o presidente do Tribunal, Naief Saad Neto, rejeitar o pedido do auditor, que solicitou a alteração de seu parecer. O encarregado de fazer a denúncia, aliás, foi o patrono do clube, o deputado estadual Geraldo Vinholi (PDT), que há anos ajuda política e financeiramente o Oeste, em troca de votos e até da exposição de seu nome nas camisas oficiais do time.Assim que foi formalizada a denúncia, o presidente do Tribunal suspendeu preventivamente o auditor, instaurando sindicância interna e levando os denunciantes (representantes do Oeste) para o Deic - Departamento de Extorsão, da capital.Pontos obscuros - Washington Rodrigues, além de ocupar o cargo de auditor, é também o principal advogado do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo na área cível, patrocinando ações contra os principais clubes paulistas, além de acionar a própria FPF, a CBF e a Liga Rio-São Paulo. Não seria antiético ser membro do Tribunal e acionar a Federação e seus filiados? Para ele, tudo é normal, porque "são ações diferentes".A ligação entre Bíscaro e Washington também é antiga. Tanto que os dois mantêm, em parceria, duas causas que estão na Justiça. Bíscaro, no entanto, garante que sua única conversa com o então relator foi com o objetivo de avisá-lo de que assumiria a defesa do Oeste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.