Guilherme Amaro/Estadão
Guilherme Amaro/Estadão

FPF premia Corinthians, Santos e São Paulo em R$ 80 mil; Palmeiras fica fora

Clubes ganham recompensam em programa de excelência; time alviverde fica fora porque estava rompido com a entidade

Guilherme Amaro, O Estado de S. Paulo

20 de fevereiro de 2020 | 11h46

A Federação Paulista de Futebol (FPF) divulgou nesta quinta-feira os clubes premiados em seu Programa de Excelência de 2019. A entidade distribuiu R$ 1,4 milhão para times filiados que alcançaram as metas de gestão. Corinthians, Santos e São Paulo conquistaram o prêmio máximo, na categoria ouro, e receberam cada um R$ 80 mil.

O Palmeiras ficou fora do programa de 2019 porque estava rompido com a FPF. Com o desentendimento, não enviou os relatórios mensais para a entidade fazer sua avaliação. O clube alviverde volta a participar da edição deste ano, depois de ter se reaproximado da FPF no segundo semestre de 2019.

Vice presidente da FPF, Mauro Silva comemorou o retorno do clube ao programa. "É uma grande alegria para a Federação ter o Palmeiras de volta ao Programa de Excelência. É um dos clubes que têm uma gestão muito boa, profissional. Sempre tivemos uma ótima relação, nos ajudaram muito. Superamos uma etapa que foi ruim para as duas partes. É importante as entidades trabalharem juntas para fortalecer o futebol brasileiro. Qualquer divergência, é importante sentar e resolver", disse em entrevista ao Estado.

Palmeiras e FPF romperam após a final do Campeonato Paulista de 2018 porque o clube entende ter havido interferência externa na arbitragem na decisão contra o Corinthians. O Alviverde voltou a participar de um evento da entidade em outubro do ano passado. Como não foi avaliado, o Palmeiras não enviou representantes nesta quinta. Dos quatro grandes do Estado, o único presidente que compareceu à premiação foi o do Santos, José Carlos Peres.

Lançado no fim de 2015, o Programa de Excelência acompanha os clubes paulistas ao longo da temporada e avalia dez quesitos: base, torcida, infraestrutura, negócios, atletas e comissão técnica, desempenho técnico, futebol feminino, recursos humanos, filiação e gestão e finanças. Os outros clubes que conquistaram a premiação máxima foram Água Santa, Grêmio Osasco Audax, Ferroviária, Ituano, Novorizontino, Juventus, Ponte Preta, Red Bull Brasil e XV de Piracicaba.

Cinco clubes ficaram com a premiação prata, no valor de R$ 40 mil: Desportivo Brasil, Inter de Limeira, Mirassol, Portuguesa e Rio Claro. Por fim, 12 times receberam R$ 20 mil pelo bronze: Linense, Capivariano, Santo André, São Caetano, Primavera, Sertãozinho, Oeste, Taubaté, São Bernardo, Rio Branco, Botafogo e Atibaia.

A ideia da FPF é aumentar os prêmios para a próxima edição. "Sempre temos a expectativa de colocar mais dinheiro no programa para fortalecê-lo. O prêmio é muito importante para incentivar os clubes a terem uma gestão melhor", afirmou Mauro Silva.

Portuguesa Santista, Bragantino, Guarani, Rio Preto, São Bento e Votuporanguense também participaram do programa, mas não alcançaram nem sequer a categoria bronze. Eles receberam apenas o certificado de participação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.