Nilton Fukuda/ Estadão
Nilton Fukuda/ Estadão

FPF reclama de volta aos treinos só em julho e se reunirá com times do Paulistão

Expectativa dos clubes era para que a retomada das atividades fosse praticamente imediata, dependendo apenas do cumprimento de protocolos

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2020 | 16h44

A decisão do governador de São Paulo, João Doria, de liberar a volta aos treinos dos clubes paulistas apenas a partir de 1º de julho provocou irritação. Em nota oficial, a Federação Paulista de Futebol (FPF) criticou a decisão do governo e convocou uma reunião com a presença dos 16 participantes da Série A1 do Campeonato Paulista para discutir o assunto. 

A expectativa dos clubes e da FPF, como havia sido relatado na última terça-feira pelo Delegado Olim, presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP) e deputado estadual, era para que a retomada dos treinos fosse praticamente imediata, dependendo apenas do cumprimento de protocolos, como a realização de exames médicos para a detecção de casos de coronavírus em jogadores, membros das comissões técnicas e funcionários. 

O governo estadual, porém, anunciou que os trabalhos estarão liberados apenas em julho, o que levou a FPF a manifestar "estranheza" com o "distante reinício". "A Federação Paulista de Futebol recebeu a informação, a partir da entrevista coletiva concedida pelo Governo do Estado de São Paulo, de que os treinos dos clubes da Série A1 do Campeonato Paulista poderão ser retomados somente a partir do dia 1º de julho. "O anúncio, com o distante reinício das atividades, causou estranheza, já que o Protocolo de Retomada Gradual aos Treinos preza, em primeiro lugar, pela saúde de todos envolvidos", afirmou a FPF, em nota oficial. 

Em seu comunicado, a federação lembra que as atividades estão praticamente paralisadas desde março - os jogadores fazem treinos nas suas residências - em função da pandemia do coronavírus. A entidade afirma que a decisão do governo estadual não tem explicação "plausível e científica". E convoca os clubes paulistas para una reunião nesta quinta-feira. 

"Assim, os profissionais do futebol, que dependem de seu condicionamento físico para exercer suas atividades, seguem impedidos de trabalhar, sem que haja uma explicação plausível e científica. A Federação Paulista de Futebol convocará uma reunião virtual com os 16 clubes para esta quinta-feira, 15h, para tratar do tema", acrescenta. 

Em videoconferência realizada, na semana passada, a FPF deixou a decisão de liberar ou não os treinamentos para as prefeituras das cidades dos clubes participantes. Todos, porém, deveriam retomar ao mesmo tempo.

Dos quatro principais estados do futebol nacional, São Paulo é o único que ainda não liberou os treinos presenciais. Os times do Rio Grande do Sul foram os primeiros a ter atividades em campo, seguido pelos clubes mineiros. E o Campeonato Carioca recomeçará nesta quinta-feira com a partida entre Flamengo e Bangu. 

O Paulistão está paralisado desde 16 de março. Embora a volta aos treinos não ocorra com uma data determinada para a volta da competição, abre o caminho para a sua retomada, sendo que nesse momento faltam duas rodadas para o final da primeira fase, além dos confrontos das quartas de final, semifinais e final. A liberação não vale, porém, para as regiões de Barretos, Presidente Prudente e Ribeirão Preto, que estão na classificação vermelha, a mais restrita do Plano São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.