FPF veta Canindé e muda abertura do Paulistão para Morumbi

'Um jogo dessa importância não pode ter tão pouco público, não pode ser lá', declara o coronel Marinho

Giuliander Carpes e Martín Fernandez, O Estado de S. Paulo

11 de janeiro de 2008 | 20h49

O Estádio do Canindé, onde seria realizado o jogo de abertura do Campeonato Paulista, foi vetado por "tempo indeterminado" pela Federação Paulista de Futebol (FPF), que alegou a "falta de apresentação dos laudos necessários" para tomar tal decisão. Assim, a partida entre Portuguesa e Santos, quarta-feira, a partir das 21h45, foi transferida para o Morumbi.  Veja também: Federação Paulista interdita Estádio do São Caetano  Imagens da falta de manutenção do Anacleto De acordo com o Coronel Marcos Marinho, do Departamento de Segurança da FPF, a Portuguesa não apresentou o laudo de vistoria do Corpo de Bombeiros dentro do prazo. Além disso, o Departamento de Controle do Uso de Imóveis de São Paulo (Contru) só liberou o Canindé para receber 5 mil pessoas, número que a FPF considera pouco. "Um jogo dessa importância não pode ter tão pouco público, não pode ser lá", declarou o coronel Marinho. "Em comum acordo com o clube mandante (Portuguesa), transferimos o jogo para o Morumbi." No último jogo do Campeonato Brasileiro da Série B, a Portuguesa levou 7.086 torcedores ao Canindé, onde bateu o Criciúma por 3 a 1. O clube alega que teve liberação do Contru para a disputa da Série B, mas a FPF diz não ter recebido tal documento.  O presidente da Portuguesa, Manuel da Lupa, admite que também faltou entregar o laudo da Vigilância Sanitária. "Tentei reverter a situação, mas não conseguimos", declarou o dirigente, reclamando do veto da FPF ao seu estádio. "Estamos nos sentindo prejudicados. Tentamos fazer de tudo para manter o jogo no Canindé, mas vamos aceitar essa decisão para não arrumar confusão."

Tudo o que sabemos sobre:
Paulista A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.