Fragilidade do São Caetano está no ataque

Mesmo estando bem no Campeonato Brasileiro, onde ocupa a sétima posição, com 26 pontos, o empate em 0 a 0 com o Atlético-PR na última quarta-feira mostrou a maior fragilidade do São Caetano neste Campeonato Brasileiro. Mesmo em sétimo lugar no Campeonato Brasileiro: o time do técnico Mário Sérgio não consegue marcar gols. Contra os paranaenses mais uma vez a dupla de ataque, desta vez formada por Mateus e Adhemar, não conseguiu marcar gols. As melhores chances da partida foram de Zé Carlos e Elivélton, dois laterais esquerdos que acertaram a trave do Atlético três vezes. Em todo o Campeonato Brasileiro o São Caetano marcou apenas 18 gols em 17 jogos, o que dá uma média de praticamente um gol por partida, muito pouco para um time que luta para ser campeão. O time do ABC Paulista só marcou mais gols que Juventude (16) e Fortaleza (15), dois times que lutam contra o rebaixamento à segunda divisão. O artilheiro do time no campeonato é Marcinho, com seis gols. O atacante, assim como o volante Ramalho, o meia Marcelo Mattos e o goleiro Silvio Luiz não enfrentaram o Atlético-PR em virtude do terceiro cartão amarelo. Os quatro, entretanto, têm suas voltas asseguradas para o jogo de domingo, contra o Guarani, às 16 horas, de novo, no estádio Anacleto Campanella.

Agencia Estado,

10 de julho de 2003 | 15h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.