França diz que São Paulo jogou bem

As vaias da torcida no empate sem gols com o Talleres, pela Copa Mercosul, deixaram os jogadores do São Paulo completamente fora de sintonia. O atacante França, por exemplo, saiu de campo contrariando a opinião do próprio técnico Nelsinho Baptista, que reclamou da atuação da equipe. "Não iríamos marcar gols até amanhã porque eles praticaram o antijogo. A torcida tem razão de vaiar, pelo resultado. Mas foi uma das melhores atuações que tivemos este ano", desabafou o atacante.O discurso de que a retranca do adversário foi responsável pelo resultado tornou-se unânime entre os jogadores. Parecia muito mais algo combinado para esconder as próprias falhas da equipe, que não teve forças para criar uma chance sequer de perigo. "Corremos, lutamos, mas o que mais podemos fazer? Não aproveitamos as oportunidades", desconversava o meia Kaká.Já o técnico Nelsinho Baptista argumentou que o fato dele ter escalado a equipe com dois volantes, mesmo precisando da vitória, não atrapalhou a movimentação do ataque. "Isto é relativo. O time pode ira ao ataque com dois volantes porque pelo menos um deles sempre sabe apoiar com eficiência", justificou. A verdade é que Alexandre ficou sem função, enquanto Fábio Simplício quase não avançou.O treinador, no entanto admitiu que o time foi muito mal, principalmente por não utilizar as laterais para atacar. "Também faltou movimentação no ataque", observou. Ele se mostrou desanimado com relação às possibilidades de classificação do time na competição sul-americana. O grupo D ficou embolado e o São Paulo necessita da vitória contra o Velez, na Argentina e ainda torcer por uma derrota do Talleres contra o Peñarol. O jogo contra o Velez ainda não tem data confirmada. No domingo, a equipe enfrenta o Sport, em Recife, pelo Campeonato Brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.