França interessa ao Borussia

O São Paulo pode estar perdendo o atacante França. O jogador é pretendido por vários clubes da Europa e é o mas cotado para ser contratado pelo Borussia Dortmund, da Alemanha, em lugar de Luizão, que se recupera de uma operação no joelho. Um dirigente do clube alemão é esperado nesta quarta-feira no estádio do Morumbi, para assistir à partida entre São Paulo e Grêmio, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil.Os clubes italianos Milan e Fiorentina também já demonstraram interesse na aquisição do jogador. O procurador de França, Wágner Ribeiro, retornou terça-feira da Itália, onde esteve por cerca de uma semana e conversou com dirigentes das duas equipes.O jogador seria uma das quatro opções para reforçar o ataque do Milan. Seus concorrentes são o francês Anelka, do Paris Saint Germain, o brasileiro Jardel, do Galatassaray e o australiano Mark Viduka, do Leeds United, da Inglaterra.Já a Fiorentina fez uma proposta concreta para contratar o atacante sãopaulino. Os dirigentes italianos se comprometeram a ceder o atacante Leandro em definitivo, além de ofereceram cerca de US$ 4 milhões ao São Paulo. Mas a cúpula do clube paulista recusou a oferta, alegando que não cederia o atleta por menos de US$ 7 milhões, mais o passe de Leandro, convocado para a seleção brasileira em lugar de Élber, que se contundiu.Outro fator que impede esta negociação é o fato de Leandro receber um salário de US$ 120 mil mensais, muito acima do que o São Paulo pode pagar neste momento.O jogador, por sua vez, admitiu a possibilidade de deixar o clube antes de dezembro de 2002, quando se encerra seu contrato com o São Paulo. "Pretendo continuar por aqui, mas nada poderei fazer se o São Paulo não quiser mais o meu trabalho", observou.Para quarta-feira, o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, não poderá contar com o lateral-esquerdo Gustavo Nery, suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo. Como o reserva Hílton está contundido, ele deverá improvisar o meia Carlos Miguel no setor e implantar novamente o esquema 3-5-2 como solução de emergência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.