França joga seu último amistoso antes da estréia na Copa

O técnico Raymond Domenech terá nesta quarta-feira a última chance de observar sua equipe num jogo oficial, antes da estréia na Copa do Mundo, contra a Suíça, dia 13, em Stuttgart. A França enfrenta a China, às 17 horas (de Brasília), no Estádio Geoffroy-Guichard, em Saint-Etienne, antes da viagem para a Alemanha - os Bleus desembarcam quinta-feira em Hannover e seguem para Aerzen, local da concentração.Independentemente do resultado do jogo, o treinador considera que a preparação para o Mundial é plenamente satisfatória. ?O principal objetivo, nessas duas semanas de trabalho, era deixar os jogadores em condições físicas semelhantes?, comentou. ?Alguns pararam de jogar mais cedo do que outros e precisávamosequilibrar o nível atlético de todos?, completou.Domenech divulgou a escalação para o amistoso e, salvo problema de última hora, deve ser a mesma formação para o início da Copa do Mundo. Cissé será titular do ataque, ao lado de Henry. Wiltord e Ribéry ficam no banco de reservas. Nas outras posições, não haverá surpresas. Satisfeito com os resultados mais recentes - nos últimos dez jogos, a França obteve sete vitórias, dois empates e sofreu uma derrota, marcou 18 gols e sofreu seis - o treinador manteve a base das últimas apresentações. Zidane terá a companhia de Malouda, no meio-campo, enquanto a defesa formada pelos laterais Sagnol e Abidal, e os zagueiros Gallas e Thuran.Se não for um primor de qualidade técnica, pelo menos o jogo contra os chineses tem seu valor histórico, pois será a primeira vez que as duas equipes se enfrentam. A China, que ocupa a 68.ª posição no ranking da Fifa, só se classificou uma vez para a Copa do Mundo, em 2002.O goleiro reserva Coupet admitiu, em entrevista ao Canal +, da TV francesa, que não esqueceu a mágoa por ter sido colocado no banco pelo técnico Raymond Domenech, com quem chegou a discutir, na concentração, no início dos treinos para a Copa - chegou a abandonar o local dos treinos, mas voltou, meia hora depois. ?É difícil guardar qualquer tipo de ressentimento, seja de quem for?, disse. ?Quando tenho de explodir, não espero e não penso duas vezes.? O jogador, no entanto, garantiu que o episódio não vai tumultuar o ambiente na seleção francesa. ?Hoje, estou trabalhando e me empenhando ao máximo?, contou. ?O mais importante é o apoio que recebi dos companheiros.?A seleção francesa irá a campo para enfrentar os asiáticos com a seguinte formação: Barthez; Sagnol, Gallas, Thuran e Abidal. Vieira, Makelele, Zidane e Malouda; Henry e Cissé.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.