Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

França libera esportes coletivos e abrirá estádios com público em 11 de julho

Como prometido pelas autoridades, também serão reabertos a partir de segunda-feira cinemas, resorts e cassinos

Redação, Estadão Conteúdo

20 de junho de 2020 | 13h13

O governo francês anunciou neste sábado que está permitida, a partir de segunda-feira, dia 22, a prática de esportes coletivos no país e também prometeu que os estádios de futebol serão reabertos com público a partir do dia 11 de julho, com lotação máxima de 5 mil espectadores.

Em comunicado, o governo afirmou ter tomado a decisão após entender que houve melhoria da situação sanitária relacionada à pandemia de covid-19 no país, permitindo "suspender certas proibições sob a condição de que todos mantenham uma postura vigilante". Como prometido pelas autoridades, também serão reabertos a partir de segunda-feira cinemas, resorts e cassinos.

Serão permitidos novamente esportes em equipe em estádios, ginásios cobertos ou ao ar livre "com medidas de prevenção adaptadas a diferentes categorias de atividades". O Ministério do Esporte alertou que os gestores e proprietários de instalações esportivas "estejam preparados". As lutas continuam proibidas, salvo para atletas de alto rendimento. A proibição deve ser revista em setembro.

O governo acrescentou que a ocupação máxima de 5 mil torcedores em estádios e hipódromos poderá ser revista se a condição sanitária no país melhorar a partir de meados de agosto. Até dia 11 de julho, os estádios, bem como as pistas de corrida, estão acessíveis apenas para treinos. Haverá uma nova revisão da situação epidemiológica "para decidir se é possível um relaxamento para a segunda metade de agosto".

O Campeonato Francês foi encerrado precocemente devido à pandemia do novo coronavírus no final de abril e o Paris Saint-Germain, declarado campeão. Há a expectativa de que a próxima temporada da liga francesa possa começar no final de agosto.

Nas últimas 24 horas, a França registrou 14 óbitos em hospitais, o que elevou o total de mortos a 29.617 desde que a pandemia emergiu, segundo o último balanço oficial publicado nesta sexta-feira. Mais de 196 mil pessoas foram infectadas pela doença no país europeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.