França treina e faz gol, mas é dúvida

No treino desta sexta-feira pela manhã, no CT do São Paulo, o atacante França participou do coletivo pelo time reserva e até fez um gol de cabeça, mas sua escalação na final do Torneio Rio-São Paulo, domingo, contra o Corinthians, no Morumbi, não está garantida. "O França só joga se tiver condições de cumprir todas as funções que uma final exige. Tem de correr, se movimentar, marcar o adversário. Se ele não puder fazer isso, não vai nem para o banco", revelou o técnico Nelsinho Baptista, que faz neste domingo sua última partida pelo clube.Segundo o médico José Sanches, França seria avaliado novamente nesta sexta-feira à tarde, para saber se suportou bem o esforço feito de manhã. Outro teste será feito no treino recreativo deste sábado. "O recreativo pode ser brincadeira para os outros, mas para o França é muito sério. É para ver se ele tem ou não condição de jogar", afirmou o médico, que lembrou que a contusão do jogador já está cicatrizada, mas o local (coxa direita) ainda está sensível. "Depois do treino, só quem poderá dizer se tem ou não condição é o próprio França. É ele que sente a dor."Movimentação - Para França, a dúvida ainda é grande. Nesta sexta-feira, movimentou-se pouco. Diz que ainda sente receio de agravar a contusão. "O primeiro treino foi difícil, não deu para avaliar direito. Fiquei mais parado e ainda tenho receio de fazer movimentos que exigem muito da perna. Até me surpreendi com o gol, não esperava que a bola fosse chegar em mim", contou o atacante, que não acredita que a escalação seja uma decisão só dele. "A princípio a decisão depende só de mim, mas tem que ver o que o Nelsinho quer. Ainda não dá para eu me movimentar muito, marcar, dar carrinho."Se por um lado o atual artilheiro do Rio-São Paulo (19 gols) está com medo de agravar a contusão e ficar mais tempo ainda parado (às vésperas de viajar para a Alemanha, onde jogará pelo Bayer Leverkusen), por outro ele deseja sair do São Paulo ?por cima?. "Quero confirmar a condição de artilheiro do Rio-São Paulo e conquistar o título para o São Paulo. Por tudo que tem acontecido, é uma questão de honra para todo o grupo."Kaká - Para o time, não há dúvida de que a presença de França é fundamental. "Mesmo que, por causa da contusão, o França não marque tanto, ele prende os jogadores adversários na defesa", disse Kaká, que tem escalação garantida. Outro que joga neste domingo e quer a companhia de França é Lúcio Flávio, que declarou: "O França é um jogador importante. A maioria dos gols do time saíram dos pés dele, mas só quem pode decidir se vai ou não jogar é ele."Caso não jogue, será a terceira vez que França fica fora de uma partida decisiva contra um time grande de São Paulo. Em 1999, pelo Campeonato Brasileiro, não disputou a segunda partida da semifinal contra o Corinthians. Estava com uma contusão no tornozelo direito. No ano seguinte, ausentou-se das oitavas-de-final da Copa João Havelange, contra o Palmeiras. Na ocasião, a contusão era na coxa direita, como hoje. Nas duas vezes, o São Paulo foi eliminado.A ausência de França nos momentos mais importantes sempre gerou desconfiança na torcida, mas ele garante que isso não vai pesar na decisão de jogar ou não neste domingo. "A última vez que isso ocorreu foi em 2000. Em 2001, joguei o ano inteiro. Mas não posso ficar pensando no que aconteceu no passado. Só tenho que levar em conta a minha condição física. Tenho família, tenho minha carreira. Se for para me prejudicar, não vou entrar em campo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.