França vence Brasil e está na final

A seleção da França garantiu sua vaga na final da Copa das Confederações, ao derrotar o Brasil por 2 a 1, na manhã desta quinta-feira, na cidade de Suwon, na Coréia do Sul. Os franceses vão fazer a final, domingo, em Yokohama, no Japão, contra a seleção japonesa, que na outra semifinal venceu a Austrália por 1 a 0. O Brasil vai continuar na Coréia. No sábado disputa o terceiro lugar com a Austrália.Brasil e França se enfrentaram hoje pela primeira vez desde a final da Copa de 98, em Paris, quando os franceses venceram, por 3 a 0. A exemplo daquela partida, a superioridade da França foi flagrante. O time, do técnico Roger Lemerre, abriu o marcador aos seis minutos da primeira etapa, através de Pires. O Brasil reagiu e conseguiu o empate, aos 30 minutos, depois de uma cobrança de falta de Ramon. No segundo tempo, a França voltou melhor e fez 2 a 1, com um gol de cabeça de Desailly.Desorganizada, a equipe brasileira ainda teve sorte. Os atacantes Anelka e Wiltord perderam pelo menos quatro oportunidades claras para marcar. O Brasil, por sua vez, não conseguiu chegar com perigo ao gol francês uma vez sequer.A seleção da França começou a partida pressionando. Foi toda para cima do Brasil, que recuou, acuado na defesa. O primeiro gol não demorou a surgir. Aos seis minutos, depois de uma cobrança de escanteio, Pires pega um rebote e, da entrada da área, chuta forte, no canto esquerdo de Dida: 1 a 0. Depois da marcação do gol, a França recuou. Queria atrair a seleção brasileira para seu campo e jogar nos contra-ataques. E foi isso que ocorreu. A seleção brasileira foi à frente e passou a pressionar, mas de maneira pouco eficiente. Os franceses marcavam forte na intermediária e não davam chances aos atacantes brasileiros, que sequer conseguiam entrar na área para a conclusão das jogadas.Como conseqüência disso, as jogadas de ataque do Brasil se resumiam às descidas dos laterais. O lateral-esquerdo Léo, mais eficiente que Zé Maria, se transformou então na principal opção ofensiva brasileira. Até que aos 30 minutos, numa falta na entrada da área, Ramon empatou numa cobrança perfeita: 1 a 1. O segundo tempo começou exatamente como havia começado o primeiro. A França pressionando e o Brasil fechado na defesa. Outra vez, o gol não demorou a sair. Depois de uma cobrança de falta na esquerda, Desailly desviou de cabeça aos 8 minutos para fazer 2 a 1. O Brasil sentiu o gol. Errando passes em demasia e sem uma ligação eficiente entre o meio e o ataque, a equipe perdeu completamente o controle da partida. Sentindo o momento ruim, Leão começou a mexer no time. O meio-campista Vampeta entrou no lugar do centroavante Leandro. Assim, a seleção ficou com apenas um atacante (Washington) fixo à frente. Minutos depois, tirou Carlos Miguel e colocou Robert. Leão optou por povoar o meio-de-campo, numa tentativa de neutralizar o setor onde as jogadas de contra-ataque da França surgiam. Roger Lemerre, por sua vez, tirou Djorkaeff e colocou em campo o jogador Carriere. Seu time ficou mais rápido e nos últimos 20 minutos, criou seguidas oportunidades para marcar. Para sorte do Brasil, Anelka e Wiltord falhavam nas finalizações na mesma proporção. Só a má pontaria dos dois evitou que Brasil se livrasse de um vexame maior.A campanha do Brasil na Copa das Confederações foi muito fraca. Em quatro partidas até agora, ganhou apenas uma - contra Camarões, na estréia. Empatou duas - Canadá e Japão - e perdeu hoje para a França. Marcou apenas três gols e sofreu dois. No sábado, na Coréia, contra a Austrália, terá mais uma chance de se redimir, na disputa pelo terceiro lugar.O Brasil jogou com: Dida; Zé María, Lucio, Edmilson e Leo, Leomar, Carlos Miguel (Robert), Fabio Rochembck e Ramon; Leandro (Vampeta) e Washington. A França venceu com: Rame; Sagnol, Lizarazu, Vieira e Djorkaeff (Carriere); Desailly, Pires, Leboeuf e Karembeu; Anelka e Wiltord (Laurent).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.