Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Franceses até hoje zombam brasileiros

?Et un, et deux, et trois." Certamente uma grande parte dos 80 mil espectadores que fore amanhã ao Stade de France vão saudar, repetidas vezes, os jogadores brasileiros com este refrão, quetraduzido para o português significa ?é um, é dois, é três." Nem precisa pensar muito para saber do que se trata: a maneira prediletaque os franceses encontraram para ?tirar um sarro" dos brasileiros por causa da final da Copa do Mundo de 1998, disputada neste mesmo Stade deFrance. Predileta e praticamente único tipo de provocação que é usado. Lembrar do título que a França ganhou sobre o melhor futebol do mundo ? sim, eles continuam achando o Brasil, disparado, o melhor ? dá aosfranceses um prazer tão grande quanto um bom gole de vinho. ?Basta um francês começar a falar em futebol para lembrar daqueles 3 a 0. E lávem a gozação", testemunha o fotógrafo Adilson Felix, brasileiro radicado há 14 anos em Paris. Felix foi alvo da ironia dos franceses,no caso de um bando de garotos, na segunda-feira, quando foi ao Stade de France registrar como estavam os preparativos para a partida deamanhã. ?Foi só eles perceberem que eu era brasileiro para começarem a cantar o ?é um, é dois, é três". O fotógrafo salienta que o refrãosempre é sempre acompanhado de uma risadinha irônica, daquelas que irritam. Pelo menos a gozação diminuiu depois da Copa de 2002, quando o Brasil foi campeão e a França foi eliminada na primeira fase sem ter feito umgolzinho sequer. ?Agora, eles estão mais maneiros. Também, depois do que aconteceu", alivia-se Felix. Mas amanhã, a partir do momento que o Brasil entrar em campo, vai ser inevitável ouvir a ironia da torcida adversária que, claro, deve silenciar se o placar estiver adverso parasua seleção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.