Tatyana Makeyeva / Reuters
Tatyana Makeyeva / Reuters

Franceses pedem cuidado com seleção peruana e projetam duelo 'mais aberto'

Equipe pode ter mudanças em relação ao time titular da estreia, diante da Austrália

Estadão Conteúdo

19 Junho 2018 | 12h46

A França teve muito trabalho para furar a retranca australiana e vencer por 2 a 1 na estreia da Copa do Mundo, no último sábado. A expectativa diante de um rival teoricamente superior, então, é de ainda mais dificuldade. Por isso, os jogadores da seleção pediram bastante cuidado para o duelo com o Peru, quinta-feira, em Ecaterimburgo.

+ Na concentração da França, Griezmann renova com o Atlético de Madrid até 2023

+ Lateral nega que França jogue pressionada a vencer Peru e lembra derrota de rival

"Fizemos uma boa análise do jogo juntos. Pensamos em como ser mais fortes, mais coordenados, causar mais dano ao oponente. Todos concordamos que será necessário melhorar a intensidade e a atitude. Esta competição não é fácil. Sabemos a direção a tomar e precisamos jogar em nosso melhor nível", declarou o zagueiro Varane nesta terça.

A avaliação dos franceses, porém, é de que a maior qualidade peruana aliada à necessidade de vitória dos sul-americanos podem ser benéficas. Afinal, a tendência é que o adversário saia mais para o jogo, o que abriria mais espaços para a França aproveitar com sua qualidade ofensiva.

"O bom é que será um jogo mais aberto do que o primeiro, porque os peruanos são obrigados a vencer, mas vamos ter que ser mais cuidadosos com este time e com seus jogadores, que são muito bons. Não estamos com falta de motivação ou vontade de jogar a Copa do Mundo e vamos fazer nosso trabalho na quinta-feira", apontou o meia Fekir.

 

Resta saber a escalação que a França levará a campo. Depois da atuação decepcionante na estreia, o meia Tolisso e o atacante Dembélé podem dar lugar, respectivamente, a Matuidi e Giroud. O time francês lidera o Grupo C da Copa com três pontos, ao lado da Dinamarca, enquanto Peru e Austrália tem zero.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.