Franceses vencem no Mundial de Star

A dupla francesa formada por Xavier Rohart e Pascal Rambeau liderou desde a primeira bóia do percurso montado no Rio da Prata hoje para vencer a segunda regata do Campeonato Mundial de Star, no Clube Náutico de Olivos, em Buenos Aires, Argentina. Os campeões olímpicos do Brasil, Torben Grael e Marcelo Ferreira, que voltaram a competir somente neste Mundial, após os Jogos de Atenas, em agosto do ano passado, obtiveram um sexto lugar hoje. Com isso, as duas duplas terminaram o dia com a mesma campanha e na vice-liderança na classificação geral. O Mundial que segue até sexta-feira, reunindo 53 barcos de 20 países - todos os velejadores terão o direito a descartar o pior resultado dentre os obtidos nas seis regatas programadas. Na abertura do torneio, Torben e Marcelo foram os primeiros, com os franceses em sexto. Hoje, as posições se inverteram e as duas duplas somam sete pontos na classificação. Apenas um ponto atrás, os suecos Fredrek Loof e Anders Ekstron, com um segundo lugar no sábado e uma quarta colocação hoje, lideram o torneio. Mas ainda é muito cedo para definições e qualquer uma das três duplas é candidata ao título. Para Robert Scheidt, que "experimenta" uma nova classe olímpica, visando a definição de seu futuro na vela, o dia hoje foi melhor do que a estréia, no sábado. Terminou na oitava posição, velejando com o seu proeiro, Bruno Prada. Scheidt, que também é bicampeão olímpico na classe Laser e hepcampeão mundial, havia terminado na décima colocação na primeira regata do Mundial. Scheidt disse que neste ano, quando apenas começa um novo ciclo olímpico até os Jogos de Pequim, em 2008, será de testes para que decida a classe a qual irá se dedicar. Permanecer na Laser, mudar para a Star ou a Finn são opções. Hoje, a dupla britânica Iain Percy e Steve Mitchell, campeã mundial em 2002, que não havia terminado a primeira regata por causa do mastro quebrado do barco foi segunda colocada e os americanos Mark Reynolds e Phil Trinter ficaram em terceiro. O melhor resultado dentre os brasileiros hoje, depois de Torben e Scheidt, foi o de Peter Ficker e Marcelo Jordão, uma 27.ª posição, seguidos por Lars Grael e Marco Lagoa (28.º).

Agencia Estado,

13 de fevereiro de 2005 | 20h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.