Andrew Boyers/Reuters
Andrew Boyers/Reuters

Frank de Boer assume o Crystal Palace sete meses após demissão da Inter de Milão

Após uma passagem fracassada como comandante da equipe italiana, treinador assinou contrato de três anos com o clube inglês

Estadão Conteúdo

26 de junho de 2017 | 12h22

Sete meses depois de ter sido demitido pela Inter de Milão em uma passagem fracassada de apenas 14 jogos como comandante da equipe italiana, o holandês Frank de Boer foi confirmado oficialmente nesta segunda-feira como novo técnico do Crystal Palace.

O treinador assinou um contrato de três anos e chegou ao primeiro time inglês de sua carreira com o discurso de que projeta torná-lo "um sólido clube da Premier League", como é conhecido o Campeonato Inglês, no qual a equipe conviveu constantemente com o risco de rebaixamento nas últimas temporadas.

Ex-jogador da seleção holandesa, que ele defendeu nas Copas dos Mundo de 1994 e 1998 e nas Eurocopas de 1992, 2000 e 2004, Frank de Boer conseguiu ter longa passagem de sucesso pelo Ajax no início de sua carreira como técnico. Pelo tradicional time, ele conquistou quatro títulos seguidos do Campeonato Holandês e acumulou 262 partidas no comando entre 2010 e 2016.

O sucesso despertou o interesse da Inter de Milão, que o contratou no ano passado, mas os resultados que se projetavam não vieram e a diretoria do clube optou por demiti-lo após apenas 84 dias de trabalho do holandês no cargo.

Nesta segunda-feira, ao ser questionado sobre o que deu errado na Inter durante a sua apresentação oficial como novo técnico do time inglês, De Boer respondeu: "Muita coisa, especialmente no início da pré-temporada. Aprendi muito. Espero que possa trazer aquela experiência aqui ao Crystal Palace (como um aprendizado)".

O holandês acaba de se tornar o quinto técnico da equipe londrina nos últimos quatro anos e revelou nesta segunda que ficou perto de assumir o comando do Everton no ano passado, mas o cargo acabou sendo preenchido na época pelo seu compatriota Ronald Koeman.

O Crystal Palace, que é hoje é gerido por proprietários norte-americanos, estava sem técnico desde a saída de Sam Allardyce no mês passado. O treinador saiu mesmo depois de conquistar uma série de vitórias na reta final da temporada passada e salvar a equipe do rebaixamento no Campeonato Inglês, no qual fechou a sua campanha em 14º lugar. Ele optou por não seguir na equipe e então disse que pretendia se aposentar do futebol.

Eleito substituto de Allardyce para o cargo, De Boer afirmou que pretende trabalhar com o elenco que tem à disposição hoje e acredita que só precisará reforçá-lo com "uma ou duas contratações que acha que são necessárias".

Com longa passagens por Ajax e Barcelona durante o auge de sua carreira como jogador, o ex-zagueiro central se aposentou em 2006 e antes disso vestiu a camisa da seleção principal holandesa em 112 partidas entre 1990 e 2004. Ele também trabalhou pela equipe nacional como assistente técnico da seleção que foi vice-campeã da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, onde os holandeses eliminaram o Brasil com uma vitória por 2 a 1 nas quartas de final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.