José Patrício/Estadão - 24/06/2013
José Patrício/Estadão - 24/06/2013

Fred e Julio Cesar ganham atenção especial de Felipão

Treinador da seleção convocou 16 jogadores que atuam no exterior

Agência Estado

11 de fevereiro de 2014 | 13h53

RIO -O técnico Luiz Felipe Scolari admitiu nesta terça-feira, após anúncio da maior parte dos jogadores da seleção brasileira chamados para enfrentar a África do Sul, no próximo dia 5 de março, em Johannesburgo, que o fato de Fred estar recuperando a melhor condição física foi um dos motivos que o levaram a anunciar os convocados em duas etapas, deixando para definir apenas depois os atletas que atuam no Brasil para este amistoso. O duelo será o último antes da convocação do time nacional para Copa de 2014, marcada para acontecer em 7 de maio.

Ao admitir o fato, Felipão enfatizou que ainda tem tempo para esperar a recuperação do atacante do Fluminense, que ficou cinco meses sem jogar no ano passado por causa de lesão muscular na coxa direita e ainda luta para atingir o preparo físico ideal. Ele só atuou em duas partidas do Fluminense no Campeonato Carioca e agora o comandante irá acompanhar a evolução do atleta, assim como de outros jogadores que atuam no Brasil para completar a lista de convocados com mais três ou no máximo quatro nomes.

"Adiei (a convocação da lista completa) também por causa do Fred, mas não esqueça que a maioria das equipes no Brasil está jogando com equipes mistas, que alguns dos jogadores que foram convocados anteriormente jogaram dois ou três jogos até agora, e, em termos de Brasil, teremos mais duas ou três semanas em que teremos de três a quatro jogos a serem disputados", ressaltou Felipão, ao mesmo tempo em que admitiu que a condição atual de Fred gera apreensão. "Preocupa sim, pois além de o Fred ser um bom jogador, é uma pessoa espetacular, que comanda grupo. Mas, no futebol, temos sempre que esperar uma dificuldade. Vamos procurar sempre uma alternativa", disse.

JULIO CESAR

Se Fred preocupa, Julio Cesar é outro cujas condições de jogo estão em xeque, pois não vinha atuando após se lesionar e está prestes a trocar o Queens Park Rangers, da Inglaterra, pelo Toronto FC, do Canadá, que atua na Major League Soccer (MLS), o principal campeonato de futebol dos Estados Unidos, mas de pouca expressão no cenário internacional. Apesar disso, Felipão garantiu não estar preocupado com essa ida para um centro menos prestigiado.

"Lembra que nos jogos que fizemos nos Estados Unidos contra Honduras e Chile, o Julio jogou, e não vinha jogando (pelo Queens Park Rangers). E na avaliação do Carlão (Carlos Pracidelli), nosso preparador de goleiros, ele estava muito bem fisicamente e os reflexos excelentes. Normalmente, se ele jogar 10, 12 ou 14 jogos até o Mundial, será ótimo para nós. Mas ele tem essa qualidade mesmo não jogando", enalteceu.

Carlos Alberto Parreira, coordenador da seleção, foi outro que minimizou o peso negativo de Julio Cesar passar a ser testado em um campeonato menos importante. "A liga (MLS) não é tecnicamente uma das melhores do mundo, mas ela melhorou muito com a chegada de vários jogadores e ela é competitiva. E era importante que o Julio Cesar fizesse esse jogos", disse o treinador, assegurando também que o local do mundo onde o goleiro escolheria para atuar não era uma preocupação da comissão técnica.

Apesar de tudo isso, ao ser questionado se Julio Cesar já tem o posto de titular assegurado no gol da seleção para a Copa do Mundo, Felipão respondeu nesta terça-feira: "Titular garantido? Só Deus. Esse está garantido, o resto tem que trabalhar para chegar lá, porque é um longo caminho".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.