Bruno Haddad / Cruzeiro
Bruno Haddad / Cruzeiro

Fred evita polêmica com torcida do Atlético-MG, mas reitera amor pelo Cruzeiro

Atacante diz que faz parte do futebol jogadores deixarem um time para atuar no maior rival

Estadão Conteúdo

05 Janeiro 2018 | 08h06

Depois de rescindir com o Atlético Mineiro e acertar com o rival Cruzeiro no mesmo dia, o atacante Fred foi apresentado nesta quinta-feira ao novo clube. E, se evitou polemizar com a torcida da ex-equipe, ele reiterou qual o seu time de coração.

+ Henrique celebra chegada de reforços ao Cruzeiro e promete time forte na estreia

+ Ricardo Oliveira evita comparação com Fred no Atlético-MG: 'Sou Ricardo Oliveira'

"Tenho gratidão pelos clubes que defendi, mas o Cruzeiro é o clube do coração", assegurou Fred na apresentação. "Agora estou de volta, de volta à minha casa, de volta ao meu time".

Ainda assim, embora tenha evitado citar o nome do rival, o atacante garantiu respeitar todos os times que defendeu. "Com todos os torcedores minha motivação sempre foi dentro de campo, em fazer gols. E dentro do time é relação de amor, de respeito", pontuou. "Continuo com o mesmo o perfil, respeitando todos os torcedores. As brincadeiras, as provocações fazem parte, mas não participo disso. Minha relação continua a mesma".

Sobre a escolha de deixar um clube para atuar no rival, Fred ponderou que faz parte do futebol. "Vou dar a vida para comemorar meus gols com a minha torcida, seja em clássico ou em qualquer outro jogo", prometeu. "Foi difícil pra todos nós, mas faz parte do ambiente profissional. Acho natural isso, não fui o primeiro e nem serei o último".

Fred falou ainda sobre a multa de R$ 10 milhões exigida pelo Atlético Mineiro caso ele se transferisse para o Cruzeiro. E, para o atacante, o mais importante é que tudo se resolva. "A multa é a parte contratual, eu não participo. Foi algo para impedir a minha vinda para cá, mas entramos em acordo. Foi interessante, ficou tudo resolvido".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.