Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Fred pede união para Fluminense sair do sufoco

Tricolor recebe o Santos no Maracanã e precisa da vitória para respirar

AE, Agência Estado

29 de agosto de 2013 | 20h13

RIO - A delegação do Fluminense, de cabeça baixa e abatida, desembarcou nesta quinta-feira no Rio depois da eliminação na noite anterior na Copa do Brasil, com a derrota por 2 a 0 para o Goiás em Goiânia. E o tempo para lamúrias é pequeno, pois a situação no Campeonato Brasileiro está complicada. Neste sábado, o time recebe o Santos, no Maracanã, e precisa se afastar da zona de rebaixamento.

A maioria dos jogadores não quis falar. Ciente de sua responsabilidade em um momento tão crítico, o atacante Fred, capitão do time, encarou os jornalistas no desembarque. Não precisou encarar torcedores, pois não houve protestos. Na verdade, ele clamou pela união entre jogadores e a torcida.

"Precisamos trazer o torcedor para o nosso lado para não ficar tarde demais. Precisamos que a diretoria faça alguma coisa para não chegar nas condições que chegamos em 2009 e esse torcedor abraçar a equipe", comentou Fred, em referência à fuga do rebaixamento do Brasileirão daquele ano.

O pedido de apoio de Fred se baseia na dedicação do elenco, mesmo diante dos problemas de lesão e do pouco tempo para treinar que o técnico Vanderlei Luxemburgo teve desde que assumiu o comando do time. "Falta de comprometimento, de doação, aqui não vai existir", decretou o líder do elenco.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseFred

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.