Alexandre Loureiro/ Reuters
Alexandre Loureiro/ Reuters

Fred vira 2º maior artilheiro do Brasileiro, mas se machuca e preocupa Fluminense

Atacante chegou a 154 gols e se igualou a Romário; Roberto Dinamite ocupa o primeiro lugar com 190

Redação, Estadao Conteudo

23 de agosto de 2021 | 22h24

Ídolo do Fluminense, Fred voltou a marcar na noite desta segunda-feira, no empate com o Atlético-MG, por 1 a 1, no Rio, e se tornou o segundo maior artilheiro da história do Campeonato Brasileiro. O jogador, porém, deixou o campo lesionado antes do intervalo e preocupa a comissão técnica.

Aos 24 minutos, Fred converteu pênalti sofrido por Luccas Claro. Além de colocar o Fluminense em vantagem, o atacante chegou a marca de 154 gols na história da competição, igualando o número do ex-atacante Romário, tetracampeão com a seleção brasileira, e ficando atrás apenas de Roberto Dinamite, ex-Vasco, com 190 gols.

O gol também foi o 16º do atacante na temporada. Inclusive, dos últimos cinco gols que fez no ano, quatro foram em cobranças de pênalti, comprovando sua fama de bom batedor.

Ainda no primeiro tempo, no entanto, Fred recebeu entrada dura de Nathan Silva e ficou fora de combate, precisando ser substituído por Abel Hernández no intervalo. Agora, preocupa para a sequência de jogos na temporada.

No segundo tempo, o Fluminense viu o Atlético-MG dominar as ações da partida e empatar o confronto com Eduardo Sasha. Minutos antes do gol atleticano, porém, Gabriel Teixeira desperdiçou ótima oportunidade de marcar o segundo gol e selar a vitória do Fluminense, o que foi lamentado pelo volante Yago.

"Sabíamos das dificuldades de enfrentar o líder do campeonato. Tivemos a chance de matar o jogo ali no final, mas infelizmente não fizemos", disse na saída do gramado.

Com o resultado, o Fluminense chegou aos 18 pontos, mas caiu para o 16º lugar. Dois pontos a mais que o Grêmio, primeiro time na zona de rebaixamento.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseFred

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.