Ayrton Vignola/AE
Ayrton Vignola/AE

Fred vira dúvida no Fluminense para o clássico diante do Botafogo no Rio

Atacante sente dores na coxa direita e pode não entrar em campo neste sábado

AE, Agência Estado

25 de agosto de 2011 | 18h58

RIO - O Fluminense pode ter um desfalque importante para o clássico de sábado, contra o Botafogo, pela última rodada do primeiro turno do Brasileirão. O atacante Fred sofreu uma pancada na coxa direita durante a derrota para o Santos, na noite de quarta-feira, na Vila Belmiro, e sente dores no local. Assim, depende de um teste nesta sexta para saber se joga.

Além disso, o técnico Abel Braga já tem dois desfalques certos no time do Fluminense para o clássico. O volante Valencia sofreu lesão na coxa esquerda e o meia Marquinho recebeu o terceiro cartão amarelo. Souza, Fernando Bob e Diogo são as opções para o meio-de-campo, enquanto Rafael Sóbis é o nome para o ataque caso Fred não possa atuar no sábado.

Enquanto Abel Braga espera a recuperação de Fred para o clássico, o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, convocou a imprensa nesta quinta-feira para comentar as declarações de Muricy Ramalho na noite anterior. Após o jogo na Vila Belmiro, o técnico do Santos falou sobre sua conturbada saída das Laranjeiras, há cerca de cinco meses, e revelou problemas de relacionamento com a direção do clube carioca.

"Chamou-me atenção o Muricy voltar novamente a esse assunto. Achei que isso já estava liquidado. Todos seguiram sua vida. Mas ele não me esquece e nem ao Fluminense. Acho que o Muricy não gostou da maneira como sua imagem foi trabalhada após o episódio da saída das Laranjeiras e, desde então, tenta criar histórias para justificar o injustificável", disse Peter Siemsen. "A verdade é que ele tinha uma oferta boa do Santos, que tem um time com jogadores de potencial, e a família dele ainda vive em São Paulo. Era só ele declarar que gostaria de ir para o Santos e pronto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.