Fugitivo pode ter atirado em técnico

A polícia equatoriana confirmou nesta segunda-feira o envolvimento de Jacobo Bucaram, primogênito do ex-presidente Abdalá Bucaram, exilado no Panamá após ter sido afastado do cargo durante seu primeiro ano de mandato (1996-97), no atentado ao treinador da seleção local, o colombiano Hernán Darío Gomez.Segundo o chefe da polícia judicial na província costeira de Guayas, coronel Marcelo Vega, um novo laudo comprovou que os ferimentos do técnico foram causados por ?golpes e disparos? do fugitivo das autoridades José Camacho. ?A hipótese de ter sido um atentado premeditado e planejado por Camacho, Joselo Rodríguez, Jacobo Bucaram, Jaime Sud e Wilson Dieb não está descartada", disse.O motivo da agressão teria sido a não convocação do filho mais novo de Bucaram, o volante Dalo, para a seleção Sub-20 local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.