Funcionários de bar são acusados após tiro em Cabañas

Procuradores do Ministério Público da Cidade do México acusaram seis funcionários do bar onde o atacante paraguaio Salvador Cabañas foi atingido por um tiro na cabeça, no último dia 25 de janeiro, de tentar acobertar provas do crime cometido contra o jogador da seleção paraguaia e do América-MEX.

AE-AP, Agencia Estado

25 de fevereiro de 2010 | 17h04

Os funcionários, que também foram acusados de ajudar o criminoso a fugir do local, já estavam sob custódia da polícia para não atrapalhar as investigações. Além disso, um outro trabalhador do estabelecimento enfrenta uma acusação de homicídio.

Depois do crime ocorrido no último dia 25, Cabañas se recupera de forma surpreendente. Ele já consegue caminhar sozinho e se comunicar com a família, mas apresenta problemas para se lembrar de acontecimentos recentes.

Até o ocorrido, Cabañas era tido como nome certo na seleção paraguaia que assegurou, com brilhantismo, um lugar na Copa do Mundo de 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolviolênciaCabañasMéxicobar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.