Futebol baiano tenta recomeçar

Depois do rebaixamento de Bahia e Vitória para a Série C, a terceira divisão do Campeonato Brasileiro, o futebol baiano tenta recomeçar. Nesta segunda-feira, apenas dois dias depois da queda, a promessa é de renovação na diretoria dos dois tradicionais clubes do País.O presidente do Vitória, Paulo Carneiro, que administrava o clube há 16 anos, já foi afastado do posto. E o presidente interino do Bahia, Petrônio Barradas, tem até o dia 31 de dezembro para convocar eleições.A torcida do Vitória foi a que ficou mais surpresa com o rebaixamento. Afinal, o time até que começou bem o campeonato, disputando uma vaga no grupo dos 8 melhores. Mas, de repente, começou a cair de produção até chegar ao jogo de sábado, em casa, contra o time de reserva da Lusa, precisando vencer para escapar.O resultado esperado não veio, mas o empate por 3 a 3 até que livrava o Vitória. Mas um gol do CRB já nos acréscimos da partida com o Criciúma decretou o rebaixamento do time baiano. Descontrolado, o presidente Paulo Carneiro foi até acusado de ofender o goleiro Felipe.Como o Vitória já tinha caído da primeira divisão no ano passado, a situação de Paulo Carneiro ficou insustentável e ele deixou o clube. Assim, nesta segunda-feira, Adermar Lemos Júnior assumiu o cargo. E sua primeira medida foi encerrar as atividades do departamento de futebol profissional, que só reabrirá em janeiro.O rival - No Bahia, a situação era um pouco pior. Disputando a Série B pelo segundo ano seguido, o time não conseguiu se acertar no campeonato. Teve 5 técnicos diferentes na temporada e a contratação de reforços renomados não rendeu o esperado - o atacante Viola, por exemplo, passou a maior parte do tempo no departamento médico.Assim, o Bahia chegou à última rodada da Série B precisando da vitória fora de casa contra o Paulista, outro que lutava para não cair. E, sem forças, o time baiano acabou derrotado por 3 a 2 e rebaixado para a terceira divisão. Agora, o presidente do Bahia, Petrônio Barradas, prometeu colocar os jogadores do elenco para disputar a Taça Estado da Bahia, competição organizada pela Federação Baiana de Futebol para manter em atividade os times do Estado que não participam das três divisões do Brasileiro. Bahia e Vitória disputam a Taça Estado da Bahia com jogadores dos juniores, mas o presidente do Bahia quer ?reforçar? o time. E já avisou: quem não aceitar, vai deixar o clube.Enquanto isso, os torcedores do Bahia lutam para mudar a diretoria. E até fazem um movimento para que o novo presidente seja eleito pelos sócios do clube e não mais pelo Conselho, como acontece atualmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.