Futebol do Chipre caminha para reunificação após longa separação

A reunificação do futebol do Chipre deve se aproximar de uma conclusão na segunda-feira, quando a Associação Turca Cipriota de Futebol (CTFA, na sigla em inglês) irá se candidatar como membro da Associação Cipriota de Futebol (CFA), reconhecida pela Uefa, no sul cirpiota controlado pelos gregos.

PETER E STEVENSON, REUTERS

29 Março 2015 | 11h45

O presidente da CTFA, Hasan Sertoglu, deve fazer o anúncio durante coletiva de imprensa na segunda-feira, disseram pessoas familiarizados com a situação.

Um acordo inicial foi assinado em Zurique, em novembro de 2013, com o presidente da CFA, Costakis Koutsokoumnis, na presença do presidente da Fifa, Sepp Blatter, e da Uefa, Michel Platini.

A CFA e a CTFA se separaram quase há 60 anos e, apesar do acordo inicial, muitas dificuldades podem surgir pela frente se o futebol for reunificado na ilha.

Sob os termos do acordo de Zurique, a CTFA vai se candidatar a membro da CFA, essencialmente induzindo todos os clubes turcos cipriotas a fazer o mesmo.

A CFA, então, reconheceria a CTFA como um de seus membros associados, dando a ela o dever de lidar com os assuntos que envolvam os clubes turcos cipriotas e o direito de organizar um campeonato.

A CTFA, porém, buscou garantias de que, uma vez membro, os jogos aconteceriam entre times turcos cipriotas e gregos cipriotas, algo que a CFA não garantiu publicamente.

Conversas sobre a reunificação foram recebidas com escárnio em certos setores. Mas apesar da oposição de partidos políticos no norte turco da ilha, Sertoglu obteve o apoio inabalável dos clubes, enquanto ainda há incerteza no sul a respeito do acordo.

No início da temporada, Demetris Vassiliou tornou-se o primeiro jogador grego cipriota em mais de meio século a defender um clube turco cipriota. Apesar do acordo de Zurique, o atleta de 36 anos recebeu ameaças de morte de colegas gregos cipriotas.

O norte turco cipriota separatista, oficialmente reconhecido apenas pela Turquia, foi dividido após a invasão turca no norte de Chipre em 1974, após um breve golpe de inspiração grega.

A CTFA não quis comentar, dizendo que iria divulgar informações relevantes na segunda-feira. Koutsokoumnis não foi encontrado para comentar o assunto.

Mais conteúdo sobre:
FUT CHIPRE REUNIFICACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.