Futebol feminino tem 4ª edição do Mundial

A partir de hoje, nos Estados Unidos, cerca de 320 mulheres de 16 países começam a disputar o Mundial de Futebol, em sua quarta edição. A Seleção Brasileira, cuja melhor campanha foi o terceiro lugar obtido na edição passada, em 1999, também nos Estados Unidos, estréia amanhã, contra a Coréia do Sul, pelo Grupo B, confiante em levantar pela primeira vez a taça de campeã. Para isso, no entanto, terá de superar as donas da casa, campeãs em duas oportunidades, e as norueguesas, atuais campeãs olímpicas. Na quarta-feira, o Brasil enfrenta a Noruega e encerra a participação na primeira fase contra a França, no próximo sábado. A ESPN Brasil promete mostrar a competição ao vivo.França e Noruega; Nigéria e Coréia do Norte e Alemanha e Canadá abrem hoje o torneio, que foi transferido da China para os Estados Unidos por causa da pneumonia asiática que atingiu o continente este ano.Hoje, a delegação brasileira seguirá para Filadélfia, a fim de assistir a França e Noruega. De acordo com Luiz Miguel Estevão de Oliveira, o diretor de futebol feminino da Confederação Brasileira de Futebol, a passagem do furacão Isabel pelos Estados Unidos não assustou muito as meninas brasileiras. "Hoje (ontem), o que houve aqui em Washington foi apenas um vendaval. Nada além disso. Tanto que treinamos em campo", informou ao JT, por telefone.As seleções estão divididas em quatro grupos, classificando-se para a próxima fase as duas melhores de cada chave. A final será disputada em 12 de outubro, no novo estádio de Carson, na Califórnia. O Grupo A é composto por Nigéria, Coréia do Norte, Suécia e EUA; o Grupo C tem Alemanha, Canadá, Japão e Argentina; e o D é formado por Austrália, Rússia, China e Gana. O Mundial será disputado sob medidas extremas de segurança, após os atentados de 11 de setembro de 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.