Futebol ganha novo garoto prodígio

Envolvido numa transação com o PSV Eindhoven, da Holanda, o garoto Maicon Vinicius Ferreira da Cruz, o Nicão, de 12 anos, jogador de futebol do Mirassol, interior de São Paulo, vive seus dias de celebridade. Assediado pela mídia do Brasil e do Exterior, ele se prepara para realizar um dos seus sonhos: conhecer o atacante Robinho, do Santos, um dos ídolos, ao lado de Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho.Depois de aparecer em jornais de circulação regional e nacional, Nicão virou atração no Programa da Hebe, do SBT, onde revelou sua preferência pelo Cruzeiro e Santos. A equipe da emissora prepara seu encontro com Robinho, num sábado, na Vila Belmiro. Segundo diretores do Mirassol, o técnico Osvaldo de Oliveira escolheu um sábado por se tratar de um dia de pouco movimento e mais tranqüilo para os jogadores. "Não sei o que vou falar para ele, mas quero uma bater uma bolinha e tudo bem", diz Nicão, sobre seu encontro com o craque.Os responsáveis pelo garoto cuidam agora de evitar que o assédio atrapalhe sua vida. "Ele precisa de tempo para brincar e levar um vida de menino. Não podemos pressioná-lo", diz Carlos Carvalho, diretor do Mirassol, que tem a guarda de Nicão.Mas o assédio da mídia é grande. Na quarta-feira, Nicão passou o dia gravando cenas para a TV estatal ZDF, da Alemanha, que vai retratá-lo em documentário sobre formação de craques de futebol no Brasil. Na semana passada, já havia gravado para o programa Terceiro Tempo, de Milton Neves, da Record, e concedido entrevista a um jornal de Eindhoven, cidade onde iniciará sua carreira profissional dentro de dois anos. Na fila, está a RedeTV!.Tímido, Nicão diz que com tempo vai driblar a falta de habilidade para conversar com jornalistas. "Não estou acostumado com isso", justifica. Para ele, é mais fácil ser filmado do que falar com jornalistas. "Aparecer na frente das câmeras não tem problemas, mas dar entrevista é difícil", completa.HISTÓRIA - Como nas melhores histórias de craques de futebol, Nicão é um menino pobre, nascido em Montes Claros (MG), onde morava perto de um morro tomado por traficantes. Mas tinha na escolinha de futebol da igreja seu destino. Foi filmado pelo técnico num jogo de futebol e quem viu a fita de vídeo garante: ele é um novo Maradona, um craque.De Montes Claros, foi para Mirassol, onde ainda teria de vencer a desnutrição adquirida por falta de alimentação adequada quando morava em Minas, onde se alimentava de água com fubá. Recuperado, seu futebol atraiu à cidade representantes do Barcelona e o levou para treinar em Moscou, no CSKA. Seu estilo encantou Vanderlei Luxemburgo, diretores do São Paulo e um jogador de renome internacional, cuja identidade é mantida em segredo, que também queria levá-lo para a Europa.Mas, foram representantes do PSV que chegaram a um acordo com a CR Promoções, empresa que administra o Mirassol. Como a lei não permite vínculos entre agremiações e jogadores menores de 15 anos, a transação não envolveu dinheiro. PSV e CR ficarão responsáveis pela formação do garoto até atingir a profissionalização. Assim, Nicão dividirá seu tempo entre Holanda e Brasil, pelos próximos dois anos, sendo que vai ficar alternando três meses em Eindhoven e três meses em Mirassol, até terminar o prazo e se transferir definitivamente para o futebol profissional do PSV, a mesma equipe que revelou Romário e Ronaldo na Europa.

Agencia Estado,

25 de fevereiro de 2005 | 08h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.