AP/Petros Giannakouris
AP/Petros Giannakouris

Futebol grego volta a ter violência de torcida e jogo é suspenso

Incidente acontece em jogo entre Olympiakos e AEK

Estadão Conteúdo

11 de março de 2015 | 19h13

Há uma semana, o governo grego resolveu autorizar o retorno das atividades do futebol local, com a condição de que os jogos do campeonato nacional acontecessem sem torcida. A medida, entretanto, não valia para a Copa da Grécia. Nesta quarta-feira, um jogo entre dois dos maiores rivais do país foi suspenso após invasão de torcedores ao gramado.

A partida envolvia o Olympiakos, líder da primeira divisão, e o AEK, que é o ponteiro da segunda divisão. O argentino Franco Daniel Jara abriu o placar para o Olympiakos aos 44 minutos do segundo tempo, colocando a equipe na frente do placar agregado. Logo em seguida, cerca de 20 torcedores do AEK entraram em campo, atiraram objetos nos jogadores adversários e na polícia e fizeram a partida ser suspensa no Estádio Olímpico de Atenas.

Os atletas do Olympiakos, que ainda comemoravam o gol, correram para os vestiários, seguidos pelos do AEK e pelos árbitros. Logo em seguida, a federação grega anunciou que o Olympiakos avançou à semifinal e o jogo não será retomado.

Ao anunciar o retorno do futebol, na semana passada, o ministro adjunto de Esporte, Stavros Kondonís, revelara que os clubes não conseguiram se comprometer a tomar medidas para coibir a violência nos estádios. Ele afirmou na ocasião que a situação será avaliada novamente na próxima semana, após o retorno das partidas.

A decisão do governo de suspender os jogos dos campeonatos locais foi uma resposta à guerra campal que contou com torcedores de dois dos maiores times da Grécia, o Olympiakos e o Panathinaikos.

No clássico disputado no dia 22 de fevereiro, com mando do Panathinaikos, torcedores alviverdes atiraram diversos objetos no campo antes da partida e chegaram a obrigar os dois times a saírem correndo para os vestiários, invadindo o gramado. Os hooligans do Panathinaikos também entraram em confronto com a polícia dentro do estádio Apostolos Nikolaidis.

Foi a terceira (e mais séria) a paralisação no futebol grego apenas nesta temporada. Em setembro, o governo de Atenas anunciou a suspensão de todas as competições esportivas profissionais do país por uma semana, depois de confirmada a morte de Kostas Katsoulis, um torcedor do Ethinikos Piraeus, de 46 anos, vítima da violência entre torcidas em um jogo da terceira divisão.

Depois, em novembro, o torneio foi suspendido após um árbitro aposentado ser agredido por dois homens em Atenas. Christoforos Zografos era diretor assistente do Comitê Central de Arbitragem da Federação Grega e um dos responsáveis por indicar árbitros para as partidas dos campeonatos locais. Ele foi agredido por dois homens que se aproximaram dele em uma motocicleta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.