Juventus/ Divulgação
Juventus/ Divulgação

Juventus x Milan marca o retorno do futebol italiano em clima de decisão

Copa da Itália volta a ser disputada nesta sexta-feira com um jogo válido pela semifinal

Vinícius Saponara, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2020 | 07h00

Após três meses de paralisação por conta da pandemia do novo coronavírus, o futebol na Itália está de volta. E a retomada no primeiro país da Europa que sofreu com a covid-19 será já em clima de decisão com dois clássicos pela rodada de volta das semifinais da Copa da Itália. O primeiro, nesta sexta-feira, será entre Juventus e Milan, em Turim. No sábado, será a vez de Napoli e Inter de Milão se enfrentarem em Nápoles. A grande decisão, no estádio Olímpico de Roma, está marcada para a próxima quarta.

Como está acontecendo na Alemanha, que retornou às atividades em meados de maio, e será feito na Espanha e na Inglaterra, que também retomarão seu futebol nos próximos dias, a segurança e a prevenção estão em primeiro lugar na Itália. A medida padrão para os italianos é a mesma para todas as nações: jogos de portões fechados e sem torcidas.

Logo no início da pandemia, a Itália era o país que mais apresentava mortes pela covid-19. Atualmente a situação está bem melhor e mais controlada, mas as autoridades estão sendo bem rígidas. A maioria dos jogadores, comissão técnica e outros funcionários dos clubes ainda precisa seguir procedimentos implantados pela Inglaterra, como testes para o coronavírus.

Com mais de 30 mil casos de covid-19 no país, o futebol também foi atingido. O primeiro jogador a testar positivo foi o zagueiro Daniele Rugani, da Juventus. O francês Matuidi foi outro na equipe de Turim a ser infectado, mas o que aconteceu com Paulo Dybala foi peculiar. O atacante argentino passou um mês convivendo com a doença. Revelou que esteve assintomático nesse tempo todo, mas quatro testes revelaram a presença do novo coronavírus em seu organismo.

Totalmente recuperado, Dybala deverá ser titular nesta sexta-feira e formará o trio de ataque da Juventus com Cristiano Ronaldo e o brasileiro Douglas Costa. Um duelo esperado era entre o craque português e Zlatan Ibrahimovic, mas o sueco se machucou na semana passada e não estará em campo. A esperança do Milan está nos pés do meia brasileiro Lucas Paquetá, que de acordo com a imprensa italiana tem se destacado nos treinamentos realizados durante a pandemia.

A rodada de ida das semifinais foi realizada em fevereiro, pouco antes da paralisação por conta da pandemia. No estádio San Siro, em Milão, Milan e Juventus ficaram no empate por 1 a 1. Assim, a equipe de Turim joga nesta sexta-feira por uma igualdade sem gols para avançar à final. No caso de uma novo 1 a 1, a decisão será na disputa por pênaltis.

Na outra semifinal, o Napoli receberá a Inter de Milão com a vantagem de ter vencido por 1 a 0, fora de casa, com o gol do volante espanhol Fabian Ruiz. Neste sábado buscará a vaga na decisão para tentar amenizar a fraca campanha que faz no Campeonato Italiano, que será retomado no próximo dia 20. Vice-campeão em duas das três últimas temporadas, o time de Nápoles está atualmente na sexta colocação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.