Futebol "salva" atacante do São Paulo

Toda vez que assiste a programas policiais na televisão, Kléber se arrepia. O atacante de 19 anos do São Paulo acredita que o futebol evitou que seu nome fizesse parte do sensacionalista e violento noticiário que domina as tardes na televisão brasileira. ?Eu não tinha dinheiro em Osasco durante a minha infância e começo da adolescência. Não tinha o que fazer e segui o exemplo dos meus amigos: parti para os assaltos. Roubava carros, pessoas. Pensava em conseguir dinheiro para sobreviver e não tinha vergonha. Roubava mesmo. Sei que estava errado, mas para mim, na época, não tinha outra coisa a fazer. Eu tive muita, mas muita sorte, de não ter sido morto. Consegui mudar de vida graças ao futebol e à igreja?, diz o atacante.Leia mais no Jornal da Tarde

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.