Gregg Newton/Reuters
Gregg Newton/Reuters

Futevôlei, Carnaval e loja da Xuxa: como foram as passagens de Maradona de folga pelo Brasil

Argentino estabeleceu uma ligação afetiva com o País, com direito a confusão no aeroporto e visita ao túmulo de Senna

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2020 | 17h04

A relação de Diego Maradona com o Brasil esteve bem além da rivalidade nos clássicos. O ex-camisa 10 falecido nesta quarta-feira era um grande fã do País, com direito a diversas passagens em dias de folga e rotineiras presenças no Rio de Janeiro. Os desfiles de Carnaval e a praia de Copacabana eram os passeios favoritos do astro, que também aprontou algumas confusões.

Uma das primeiras vindas de Maradona ao Brasil foi em 1979. Então com 19 anos, ele se encontrou com Pelé. Anos mais tarde, o argentino já era um astro do futebol europeu quando veio ao Rio passar férias. A presença dele no futevôlei encantou os banhistas em Copacabana, que tentaram se aproximar dele para pedir um autográfo. Para evitar o assédio do público e dos jornalistas, ele correu para tomar um banho de mar.

O mesmo Rio de Janeiro foi uma parada obrigatória para Maradona em várias edições do Carnaval. De dentro de um camarote na Marquês de Sapucaí o argentino roubou a atenção do público, dos fotógrafos e dos artistas que estavam ao redor. O ídolo sempre demonstrava bastante animação e alegria. Por vezes fumava um charuto durante os desfiles e acenava para o restante das pessoas, sempre de forma muito efusiva.

Até mesmo quando vinha ao Brasil para disputar jogos beneficentes o argentino chamava a atenção. Em dezembro de 2005, por exemplo, Maradona disputou no Maracanã uma partida ao lado de Zico. Após ser bastante tietado no encontro e até ser visto comendo bandejas de salgadinho no vestiário, o ex-camisa 10 do Boca Juniors arrumou uma grande confusão no aeroporto ao tentar voltar para Buenos Aires.

Maradona e outros quatro amigos perderam o horário do embarque e ficaram revoltados com a companhia aérea. O grupo depredou uma das áreas área VIPs do aeroporto do Galeão e foi detido. Depois de prestar esclarecimentos e pagar uma fiança, todos foram liberados para retornarem à Argentina.

Apesar do estilo festeiro, Maradona também teve passagens mais tranquilas pelo Brasil. Em 1989 ele veio disputar a Copa América e antes de se apresentar à seleção argentina, que estava em Goiânia, o craque desembarcou no Rio, onde encontrou o volante Alemão, colega de Napoli. Maradona circulou pelo Rio acompanhado da família e teve como um dos destinos a loja oficial da apresentadora Xuxa. O motivo: comprar presentes para uma de suas filhas.

Já na década de 1990 o argentino teve como destino visitar um local de tristes lembranças. Levado pelo amigo Careca, Maradona foi ao cemitério do Morumbi, em São Paulo, e levou flores para o túmulo de Ayrton Senna. Em postagem feita ano passado no Facebook, o camisa 10 descreveu o tricampeão mundial como o melhor piloto que viu na vida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.