Futsal: Falcão conta causas da derrota

Começam a surgir alguns dos motivos que levaram a seleção brasileira de futebol de salão a ficar em 3.º lugar no Campeonato Mundial de Taiwan. Nesta quarta-feira, o ala Falcão, artilheiro da competição com 13 gols e eleito o melhor jogador do torneio, afirmou, no programa Arena SporTV, que problemas de relacionamento entre os jogadores prejudicaram a campanha da equipe dirigida por Ferretti."Todo grupo tem seus problemas", iniciou o craque, que atua no Jaraguá do Sul. Depois, ele revelou que só admira o astro Manoel Tobias "profissionalmente". "Jogamos no Atlético-MG, em 1999. De lá para cá, em todo o time que ele joga, eu não tenho espaço. Ele acha que eu roubei o lugar dele de melhor do mundo. Mas eu sempre vou considerá-lo um dos melhores de todos os tempos." Falcão disse que poderia ter jogado ao lado de Manoel Tobias durante o Mundial. "Não haveria problema. Eu, ele e o Fininho poderíamos ter jogado."Por opção de Ferretti, Manoel Tobias e Fininho (capitão da equipe) ficaram fora da semifinal contra a Espanha, quando a partida, após o empate por 2 a 2 no tempo normal, foi decidida em favor dos europeus, por 5 a 4, nos pênaltis.Segundo Falcão, vários dos jogadores brasileiros que se naturalizaram espanhóis e italianos reuniriam condições técnicas para atuar na seleção. O jogador, de 27 anos, se preocupa com a participação do Brasil no próximo Mundial, em 2008, que deverá ser realizado no País. "O jogador mais novo da seleção é o Neto, que tem 23 anos. Eu em 2008 terei 31. As nossas revelações de 18 e 19 anos estão buscando o exterior, primeiro em busca de dinheiro, depois por uma oportunidade de atuar em uma seleção." Dos 14 jogadores da seleção italiana em Taipé, 12 eram brasileiros.Dos seis prêmios distribuídos pela Fifa aos melhores do Campeonato Mundial, cinco eram brasileiros. Falcão foi o melhor jogador, seguido por Javier (Espanha) e Baccaro (brasileiro naturalizado italiano). Falcão foi o artilheiro, Índio ficou em segundo e Marcelo (naturalizado espanhol) foi o terceiro colocado.Falcão disse que é bastante assediado por clubes do exterior, mas que a direção do Jaraguá do Sul "sempre cobre as propostas". "Quero continuar no Brasil pelo menos até o Pan-Americano do Rio, em 2007."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.