G-14 e Fifa buscam solução sobre liberação de jogadores

O G-14, grupo que representa os 18 clubes mais poderosos da Europa, acena com a possibilidade de retirar uma denúncia em favor do belga Charleroi se a Fifa e a Uefa apresentarem uma solução aceitável sobre as pretensões dos clubes para liberar jogadores às seleções antes do final desta temporada."Há uma teórica possibilidade de o G-14 e o Charleroi retirarem sua reivindicação se a Fifa e a Uefa chegarem a um consenso aceitável antes do final da temporada", disse o alemão Thomas Kurth, diretor-geral do G-14, à revista alemã Sport Bild.O G-14 ficou ao lado do Charleroi num processo apresentado ante a Justiça belga. O clube pede uma indenização à Fifa após a lesão do marroquino Abdelmajid Oulmers, jogador da equipe.A equipe belga exige da Fifa uma indenização de ? 2 milhões (cerca de R$ 6 milhões) pela lesão de Oulmers, que se machucou num amistoso de seu país contra Burkina Fasso, em novembro de 2004, e ficou oito meses sem jogar.Em maio do ano passado, o Tribunal belga solicitou a opinião do Tribunal de Justiça da União Européia sobre o caso. A decisão deve sair nos próximos meses. O G-14 diz que os estatutos da Fifa sobre a liberação de jogadores e seguros constituem "um abuso de posição dominante" segundo as normas européias, razão pela qual reivindica indenizações e a assinatura de um seguro quando os clubes mandam seus jogadores às seleções.Junto ao processo do Charleroi, o G-14 reivindica ? 860 milhões (cerca de R$ 2 bilhões) pelos danos sofridos por seus 18 clubes durante os últimos dez anos.

Agencia Estado,

21 de fevereiro de 2007 | 15h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.