G-8 se reúne com CBF e Globo na 4ª

Os oito times excluídos do Clube dos 13 se reúnem na próxima quarta-feira com dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da Rede Globo para tratar do assunto das cotas para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série A. Irritados com o baixo valor oferecido pela entidade (R$ 2,5 milhões), Ponte Preta, Criciúma, Fortaleza, São Caetano, Paysandu, Juventude, Figueirense e Paraná querem que a distribuição de cotas para os 24 integrantes do Campeonato Brasileiro siga quatro regras básicas: cotas fixas, de performance e desempenho, de exposição na mídia (quem tem mais jogo na TV ganha mais) e prêmios por classificação final da competição. Com estas mudanças, cada um dos oito excluídos receberia perto de R$ 5,5 milhões, já inclusos os valores de viagem e hospedagem de acordo com a parceria que está sendo fechada entre CBF, Varig e uma rede de hotéis. A reunião com a CBF foi confirmada porque o G-8 não quer mais discutir valores com o Clube dos 13, entidade que receberá os R$ 225 milhões da Rede Globo pelos direitos de transmissão da competição. O SBT, que tenta de todas as formas uma maneira de transmitir o Brasileirão, já se mostrou interessado em conversar com os oito clubes, mas só será agendado alguma reunião após a conversa da próxima quarta-feira na CBF. Um dos líderes do movimento é o presidente da Ponte Preta, Sérgio Carnielli, que não admite mais se destratado pelo Clube dos 13. "Nós não queremos esmolas, mas apenas fazer valer nossos direitos", defende. Caso não haja acordo, os renegados ameaçam até não participar da primeira rodada confirmada para os dias 29 e 30 de março. Não descartam também a participação no campeonato sem que seus jogos sejam mostrados pela televisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.