Miguel Schincariol/ AFP
Miguel Schincariol/ AFP

G. Jesus elogia contratações do City e exalta amizade com jogadores da seleção

Atacante do Manchester City compareceu a evento no Instituto Projeto Neymar Jr., na Praia Grande

Rafael Pezzo, O Estado de S. Paulo

08 de julho de 2017 | 18h29

Neste sábado, 8, dois dias antes da reapresentação do Manchester City para a temporada 2017/18, Gabriel Jesus esteve no Instituto Projeto Neymar Jr., na Praia Grande, para prestigiar a final mundial do torneio amador promovido pelo ex-jogador do Santos. Depois da decisão, que consagrou o time da Romênia como grande campeão, o atacante se juntou ao craque do Barcelona e também a Djbiril Cissé, ex-atacante da seleção francesa, para jogar contra os romenos. 

Em conversa breve com a imprensa ao término do desafio, o ex-palmeirense comentou sobre as principais contratações do Manchester City para a próxima temporada. Sobre o meio-campista português Bernardo Silva, que estava no Mônaco, Jesus admitiu não conhecê-lo tanto. "Do pouco que acompanhei, pude ver que é um excelente jogador, um meia de muita qualidade e que vai nos ajudar muito." 

Por outro lado, ele afirmou saber bastante sobre o goleiro brasileiro Ederson, que chegou do Benfica, e prevê o nascimento de uma nova rivalidade dentro do elenco. "Com a qualidade que tem, acho que ele e o (Claudio) Bravo irão disputar muito essa posição."


SELEÇÃO BRASILEIRA

O evento deste sábado, na Praia Grande, é um exemplo do quanto o atual grupo de jogadores da seleção brasileira aparenta ser unido mesmo longe das competições e dos jogos oficiais. Sobre esse aspecto, Gabriel Jesus destacou a importância que isso tem justamente durante os torneios. 

"Todo mundo é importante porque, a partir do momento que você tem uma boa relação fora, você leva pro campo. Então a seleção está bem entrosada, bem amigável, com ambiente bom e isso faz muita diferença", disse.

Depois de ser campeão brasileiro pelo Palmeiras e ainda ser eleito o melhor jogador do torneio, Gabriel Jesus emendou uma temporada de estreia surpreendente na Europa. Ainda que tenha ficado afastado por três meses devido a uma fratura no pé, ele foi um dos destaques do Manchester City. Em somente 11 partidas pelo clube inglês, marcou sete gols e deu cinco assistências. 

O próprio técnico Pep Guardiola afirmou que, caso ele tivesse com o time desde o início da temporada, o desempenho do Manchester City na temproada perdia ter sido muito diferente. Não somente em relação ao rendimento dele, mas também a influência que teve sobre Sergio Aguero, então titular e que viu sua posição ameaçada. 

Neste mesmo período, estreou na seleção brasileira na mesma partida que o técnico Tite e, desde então, se tornou o dono incontestável da camisa 9. Em sete partidas pela seleção principal, sendo seis pela Eliminatórias da Copa e um amistoso, ele marcou cinco gols e efetuou dois passes para gol. Além disso, foi titular em todos os seis jogos da campanha da medalha de ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro, quando marcou mais três gols. 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGabriel JesusNeymar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.