Santos FC/Site oficial
Santos FC/Site oficial

Gabriel assume papel de 'líder' no Santos e admite ansiedade por Libertadores

Atacante já marcou três gols desde seu retorno do futebol europeu

Estadão Conteúdo

20 de fevereiro de 2018 | 13h26

Depois de uma passagem frustrante pela Europa, o reinício de Gabriel no Santos não poderia ser melhor. Com três gols em três partidas, o atacante tem feito valer o apelido de "Gabigol", mas garante que sua contribuição vem sendo grande também fora de campo. Afinal, o próprio jogador assumiu o papel de "líder" do atual elenco santista.

+ Ambiente e estilo de jogo minaram Gabigol na Itália, analisa jornalista

+ Improvisado em clássico, Jean Mota conquista a confiança de Jair no Santos

"Eu me vejo como líder do time. Mesmo jovem, passei por várias coisas. Tento ser exemplo dentro e fora de campo, me dedicando, conversando. A qualidade dos jovens me impressiona. São rápidos, inteligentes. O Santos terá grandes jogadores daqui a pouco. Tem que ser aos poucos. O Jair (Ventura) saberá usá-los", declarou nesta terça-feira.

Gabriel tem apenas 21 anos, mas estreou como profissional aos 16. Ao longo de sua primeira passagem pelo Santos, aprendeu com alguns nomes experientes, e agora se inspira neles para liderar o jovem elenco. "Quando estava aqui, convivi com jogadores mais experientes, como Marcos Assunção, Edu Dracena, Durval, e isso faz diferença", comentou.

Curiosamente, Gabriel assume esta condição no Santos - chegou a herdar a braçadeira de capitão no clássico de domingo diante do São Paulo - depois de decepcionar na Europa também fora de campo. Ao longo de sua passagem pela Inter de Milão, reclamou abertamente da falta de chance e chegou a abandonar o banco de reservas da equipe em uma oportunidade. Agora, garante ter aprendido com os erros.

"Tenho me dedicado dentro e fora de campo. O Gabigol é o mesmo, que trabalha bastante, que faz o melhor para todos. Estou tentando melhorar todo dia, tendo oportunidades de jogar e mostrar meu futebol. E, graças a Deus, está dando tudo certo."

Apesar de se dizer mais experiente, Gabriel viverá um momento inédito em sua carreira em nove dias. Diante do Real Garcilaso, no Peru, em 1º de março, o atacante entrará em campo pela primeira vez em uma partida da Libertadores. E ele próprio não escondeu a ansiedade pela estreia.

"É uma grande novidade, estou muito ansioso. Sou santista e vi muitos jogos da Libertadores na Vila. Via que o clima era diferente. Antes, porém, temos que pensar no domingo. Temos que fazer um bom jogo, fazer valer o mando de jogo. Se conseguirmos vitórias seguidas, vamos muito bem e confiantes para a Libertadores", disse, mirando também o duelo contra o Santo André pelo Campeonato Paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.